terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Como surgem os sócios e instrutores?

Com mais um Curso de Instrutores começando semana que vem, creio que todos vão gostar de saber um pouco mais, diretamente do Mestre Gabriel, como ele escolhe os sócios e instrutores da TSKF. Além disso, vamos saber mais sobre os Tipos e Temperamentos Humanos, um assunto fantástico e uma forma bastante interessante de vermos as diferenças entre as pessoas!

Parte 1


Parte 2


Parte 3


Parte 4


Parte 5


Parte 6


Parte 7

sábado, 24 de dezembro de 2011

TSKF Moema - Making Of

Saiba mais sobre como foram elaboradas algumas partes da nova unidade de Moema. Se você ainda não viu como ficou a nova unidade, aproveite!

Um bom Natal para todos!!

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

“O KUNG FU SERÁ PARA VOCÊ AQUILO QUE VOCÊ DESEJA QUE ELE SEJA” (Mestre Gabriel Pires de Amorim)

TSKF Kung Fu – Uma escola a frente do seu tempo.

O título deste post foi a resposta do Mestre Gabriel ao ser questionado sobre o significado do Kung Fu.

Todo mundo sabe que antigamente o Kung Fu era usado para guerrear, igual vemos nos filmes antigos, pois naquela época havia tal “necessidade”. Hoje em dia também temos que lutar, porém, de outra forma, com outras “armas” e contra outros tipos de “adversários”.

Uma vez o Mestre Gabriel me falou assim: “Você vê, né Luiz? Temos poucas pessoas puxando a “corda” aqui na academia e do outro lado muitas puxando para fora daqui”.

O Mestre quis dizer que os “atrativos” do lado de fora da academia (barzinho, namorada, namorado, trabalho, vídeo game, balada, ociosidade, bebedeira, festas, tomar drogas, fumar cigarros... e bota etc. nisso!) puxam uma das pontas da “corda” (que é o aluno), para fora da academia. Em contrapartida, nossa academia e todos os seus ensinamentos voltados para saúde e bem estar seria o outro lado da mesma corda.

Não quero dizer que tudo o que coloquei entre parênteses são coisas ruins não, hein? Pelo contrário, alguns são até muito saudáveis com exceção é claro das drogas e cigarros.

O ruim são os EXCESSOS, ou seja, a quantidade ou o tempo que você despende com alguma coisa. Já ouviu falar que a diferença entre o veneno e o remédio é a dosagem?

O Mestre sempre nos ensinou que o melhor caminho é o do meio. Nem muito pra cima nem para baixo. Temos que aprender a administrar melhor nosso tempo para namorar, trabalhar, cuidar da saúde, planejar, sonhar, curtir e cuidar do seu animal de estimação, viajar, descansar, exercitar, brincar, ler livros, estudar, se divertir... etc.

Hoje a modernidade e os avanços tecnológicos nos trazem muitíssimos benefícios. Mas como tudo tem suas vantagens e desvantagens, essa mesma modernidade também traz muitas doenças, caso, você seja submetido a elas. Estou falando das doenças sociais, aquelas que aparecem em grandes cidades como a nossa. Tais como o estress, fobia social, traumas diversos, depressão, gastrite nervosa, úlcera, insônia, e por aí vai... Recentemente atendi uma mãe querendo colocar o filho no Kung Fu, e ela me perguntou se ele precisaria se alimentar. Eu disse: Como assim??? Então ela me explicou que ele tinha FOBIA DE ALIMENTOS?????? MEU DEUS!!!

Essas doenças sociais são um dos “adversários” a que eu estava me referindo. Portanto a “luta” continua e neste caso a nossa defesa é cuidar de nossa saúde física e mental utilizando nossa “arma” chamada treino de Kung Fu e/ou Tai Chi Chuan.

A TSKF é uma das poucas escolas de kung fu que acompanham a evolução dos tempos. Agora pergunto eu: Se nossas necessidades mudaram porque as pessoas insistem em achar que o Kung Fu da TSKF deveria ensinar defesa pessoal? E digo mais, essas mesmas pessoas dizem que queriam aprender defesa pessoal e acham que se houverem aulas de luta em uma academia logo aprenderão defesa pessoal.

A TSKF não é contra luta de Kung Fu tanto que hoje é a academia referência em arbitragem de Luta de Kuoshu (modalidade dentro do Kung Fu) no Brasil. Mas advirto que treinar luta não é o mesmo que treinar defesa pessoal. Na luta tem um monte de regras para preservar os lutadores, ou seja, é uma PRÁTICA ESPORTIVA.

O Mestre Gabriel já disse uma vez que as artes marciais não servem para defesa pessoal. Parece ilógico, não é? Mas é a pura verdade. Se fosse antigamente eu mesmo não entenderia tal afirmação, mas depois de aprender e conviver com o Mestre Gabriel, muitas coisas aparentemente contraditórias começam a fazer sentido.

Mas antes de falarmos sobre arte marcial x defesa pessoal, gostaria de lembrar que como o Kung Fu e as artes marciais em geral são artes da guerra, os guerreiros de antigamente tinham muito mais intimidade e familiaridade com as técnicas de defesa do que qualquer outra pessoa nos dias atuais. Logo, eles ficavam peritos no que faziam que era matar para sobreviver. Ou seja, eles treinavam as técnicas de combate e praticavam nas guerras, se fossem bem voltavam vivos, senão morriam em combate, simples assim. Portanto não é a técnica em si que determina a eficiência no combate, mas a freqüência com que você a emprega.

Uma vez o Mestre Gabriel afirmou que arte marcial não serve para defesa pessoal e foi extremamente criticado por isso na internet. Se refletirmos essa afirmação e pensarmos sobre as pessoas que já precisaram se defender sem necessariamente praticar arte marcial, logo descobriremos que o Mestre tem razão quanto a isso. Então, podemos afirmar que arte marcial não serve para defesa pessoal, pois, o ser humano já possui em seu corpo um mecanismo natural de defesa pessoal. Explicarei isso melhor.

Você já deve ter visto relatos de pessoas que se utilizaram de uma força tremenda ao se depararem com alguma situação de perigo. Por exemplo; uma mãe que já tirou o filho da boca de um jacaré que estava prestes a ser devorado, ou uma idosa que arrancou grades de uma janela para salvar o neto de um incêndio, ou ainda uma mulher que levantou um carro (Dodge Ram) que pesa mais de duas toneladas para salvar o marido que estava preso sob a roda, e por aí vai...

Percebam que são pessoas aparentemente fracas e “indefesas” que num momento de perigo imediato conseguem fazer coisas incríveis que a razão não conseguiria explicar.

Falaremos um pouco sobre esse mecanismo natural de auto-defesa que todos nós possuímos.

O Sistema endócrino de nosso corpo possui sete glândulas principais. Para esse assunto falaremos um pouco sobre uma delas, que inclusive são duplas, as glândulas supra-renais ou adrenais que se localiza acima dos rins.

Toda vez que sofremos uma situação de perigo como assalto, acidente ou um susto qualquer que coloque em risco nossa vida, essas glândulas de emergência entram em ação. Ela faz uma alteração intensa e rápida em todo nosso organismo a fim de nos proteger.

Acompanhe este interessante processo:

1º No momento do susto nós deixamos de pensar, pois nosso organismo deixa de ter comando mental e passa a ter comando pelo instinto (fica focado na medula);

2º Em seguida, as glândulas supra-renais despejam na corrente sanguínea uma gotícula de um hormônio chamado adrenalina;

3º Nesse momento o coração para de bater infinitésimos de segundos a fim de recolher todo sangue periférico do corpo. O sangue é recolhido dos vasos exteriores para então suprir os grandes vasos interiores dos braços e pernas fazendo com que nosso rosto fique pálido. Daí vem a expressão “fiquei branco de susto ou medo”;

4º Com o sangue acumulado nos grandes vasos interiores a musculatura dos braços e pernas ficam totalmente energizadas e enrijecidas, pois estão carreados de sangue. Com isso adquirimos uma força incrível nos braços e pernas ficando preparados para alguma eventual situação de perigo;

5º Outra musculatura que também contrai ficando enrijecida é a da região do abdômen. Dessa maneira os órgãos vitais ficam protegidos já que normalmente é uma região mole e macia. Essa contração instantânea faz com que sintamos um frio na barriga;

6º Após o susto alguns músculos relaxam e laceiam, por exemplo, os músculos da bexiga e do reto na parte final do intestino. Esse processo é para esvaziar tanto a bexiga quanto o intestino nos deixando higienizados, precavendo o corpo de uma possível infecção caso sejamos perfurados no momento de um ataque. Como é instintivo não conseguimos controlar. É um mecanismo involuntário. Por isso que muita gente diz que já urinou nas calças de tanto medo ou susto;

7º Os músculos que estavam contraídos como do abdômen, dos braços e pernas relaxam instantaneamente fazendo-os tremerem. Os músculos tremem por que contraíram de uma forma extrema e relaxam de uma forma extrema também por conta da adrenalina. Daí vem o motivo de tremermos de medo;

Há outras mudanças no corpo pelo efeito da adrenalina, mas para não alongarmos muito vamos encerrar por aqui.

O fato é que qualquer pessoa independente de treinar arte marcial ou não e de ser forte ou não vai se defender com unhas e dentes para sobreviver.

Portanto, a TSKF está a frente de seu tempo exatamente por não precisar ensinar Kung Fu para que sobrevivamos em um combate real.

Longe disso! A TSKF está aqui para que possamos obter saúde e bem-estar utilizando movimentos de luta.

Além disso, a grande maioria das pessoas (senão todos) que sentiram vontade de treinar Kung Fu um dia foi única e exclusivamente porque viram nos filmes e desenhos de ação. Estou mentindo? Você não viu luta de verdade você viu foi arte mesmo. Na luta de verdade não tem movimentos bonitos e coreografados igual fazem no cinema. Uma luta de verdade para ser eficaz tem que ser rápida e acaba sendo feia. E a TSKF Kung Fu ensina exatamente o que você vê no cinema, que são os movimentos de luta coreografados, impressionantes e bonitos, da qual sentiu vontade de aprender.

Para encerrar farei uma pergunta que nosso Mestre Gabriel já nos fez uma vez, ele disse assim: “O que é mais difícil: Acertar uma pessoa com um soco no rosto ou desferir esse mesmo soco com tamanha força e velocidade e parar o punho a um milímetro do rosto ou mesmo encostá-lo sem machucar a pessoa?

Se você como eu respondeu que é parar a um milímetro do rosto, então saiba que isso é o auto-controle, exatamente o que o Kung Fu desenvolve em todos nós. Nos dias de hoje eu diria que é fundamental termos esse auto-controle, haja vista quantos crimes ditos passionais ainda acontecem por aí.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Treinar para vencer os medos 3/3

Na última parte de nossa conversa com a Thaís, falamos um pouco sobre competir, vencer dificuldades e medos.

Como ser esposa, empresária e artista marcial 2/3

Neste segundo vídeo com nosso bate papo com a Thaís, falamos mais a respeito dos muitos papéis que ela tem no seu dia a dia e como faz para conciliá-los.

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

É preciso cuidar de nossos clientes - parte 1/3

E vamos à segunda edição do nosso Vlog. Dessa vez, contamos com a presença da Thaís Luvisotto...Bem, aproveitamos para fazer algumas piadas sem graça (todas elas idealizadas pelo Antônio) e também descobrir mais sobre a história da Thaís na TSKF, sua preocupação em cuidar de nossos clientes e muito mais!

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Curiosidades sobre a TSKF (4)

E vamos à quarta (e última) parte de nossa entrevista com o Mestre Gabriel!

A próxima edição já está em produção!

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Um Caminho

Recentemente, observando alguns números das academias com o Mestre Gabriel, pude ver que o número de faixas pretas e acima corresponde a 2,32% do total de alunos da TSKF. Devemos incluir aí os sócios e instrutores de academias (que não deixaram de ser alunos!). Eliminando este grupo que trabalha com a TSKF, teremos cerca de 1% de faixas pretas que são alunos.

É sabido que a faixa preta é apenas mais uma de muitas etapas dentro do Kung Fu. Para algumas pessoas, pode nem ser a mais difícil, como para outras pode ser um desafio bem intenso. De qualquer forma, há muito mais Kung Fu após esta etapa, assim como houve muito Kung Fu até esta etapa.

Ainda assim, os números mostram que muitas pessoas não chegam até esta etapa. Como é possível então ser capaz de ir até este ponto e além?

Lembro que o Mestre Gabriel falava muito em três pontos importantes para se manter treinando nossa Arte:

1- Faça amizades na academa
Se você é aquele que entra calado na academia e sai mudinho-da-silva, é melhor mudar isso se quiser se manter ativo na academia por muito tempo. Isso não significa que é preciso mudar e, no lugar de ser aquela garota discreta, se tornar uma matraca sem freios nas cordas vocais.
O "fazer amizades" significa ser quem você é, sendo sociável com seus colegas de treino, com aqueles parceiros com quem você divide suas aulas, treina os básicos e aplicações em conjunto. Conhecer pessoas novas faz bem para a saúde mental também, pois cada pessoa tem experiências e visões diferentes, que sempre podem agregar ao nosso modo de ver o mundo.

2- Venha treinar
Parece extremamente simples, mas vir treinar pode se revelar bem desafiador, especialmente no começo. Costuma-se dizer que, para se criar um mau hábito, bastam três repetições. Entretanto, para se criar um bom hábito, são necessários três meses de repetições constantes. Isso é verdade especialmente no começo do treino, quando o corpo ainda não está acostumado ao exercício e algumas dores sempre nos acompanham no dia seguinte. Aquele que perseverar e for maior que sua dor, seu desconforto, seu cansaço após um dia de trabalho, com certeza desenvolverá uma determinação de ferro que o levará longe, não apenas no Kung Fu.

3- Participar dos eventos
Deixei este por último, mas não é menos importante. Ao se envolver com as diversas atividades que a academia oferece, você arruma mais amizades, arruma mais motivos para treinar e aprende mais sobre a "maneira TSKF" de fazer Kung Fu. Isso ajuda a manter a motivação em alta sempre!

Especialmente para aqueles que um dia desejam se tornar instrutores, participar de eventos é algo interessante. Nós não vemos as aulas de feriado, participação de campeonatos, aulas de domingo, o Show Team e tantas outras coisas como um trabalho, da maneira usual que as pessoas usam.

Nós vemos todas estas atividades como oportunidades para aperfeiçoar nosso Kung Fu. Usando o corpo ou a mente.

Além disso, é uma forma de disseminar a nossa Arte para as pessoas, não apenas para os alunos, mas também para familiares e pessoas de fora de nossa escola.

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Curiosidades sobre a TSKF (3)

E vamos à terceira parte de nossa entrevista com o Mestre Gabriel!

A próxima edição já está em produção!

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Curiosidades sobre a TSKF (2)

E vamos à segunda parte de nossa entrevista com o Mestre Gabriel!

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Curiosidades sobre a TSKF (1)

Mais uma novidade na TSKF!

É com grande prazer que anunciamos a primeira edição do nosso Vlog! Da mesma forma que nossos demais canais de comunicação e relacionamento com nossos alunos, este novo espaço vai falar não apenas de Kung Fu, mas de Sonhos, T.I., piadas sem graça, e muito mais!

Na primeira série, dividida em 4 vídeos, conversarmos com Mestre Gabriel, que vai contar muitas curiosidades em torno da nossa academia.



Na próxima semana continuaremos com a segunda parte!

Se você quiser sugerir uma pergunta, um tema ou uma pessoa para ser entrevistada no nosso Vlog, deixe seu comentário aqui no blog, lá no link do vídeo do You Tube, publique no Facebook, no Twitter, ligue para a gente, mande um e-mail, enfim: participe!

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Meio e Mensagem

Há cerca de 3 anos eu estava preparando meu discurso para a inauguração da TSKF Consolação. Eu me lembro que, na época, usei como referência alguns discursos do célebre Winston Churchill e do então candidato à presidência dos EUA, Barack Obama. Pessoalmente fiquei muito satisfeito com o resultado e havia decidido que eu leria o discurso  na inauguração, afinal, era minha primeira unidade e gostaria de fazer tudo bem certinho.

Tive o privilégio de falar meu texto e passar a palavra para o então, "apenas" Shifu Gabriel (o título de Mestre veio no ano seguinte, pela TWKSF). Neste momento percebi que ainda tinha muito feijão para comer antes de ser capaz de falar em público da maneira adequada para um instrutor TSKF.

Mestre Gabriel começou dizendo que tinha apreciado muito minhas palavras e que estava contente por eu poder me juntar ao grupo de sócios da TSKF. Mas ele, por outro lado, lamentava não poder preparar palavras com o mesmo cuidado que eu havia tido. Mantendo-se fiel ao seu estilo ele preferia manifestar os sentimentos que estavam em seu coração a respeito de mais uma vitória não dele, mas de seus alunos.

Ele começou então a falar a respeito de como foi o começo da TSKF, o começo de sua vida como empresário de Kung Fu, seus treinos e desafios. Falou também à respeito de cada um dos sócios, relembrando tudo o que tínhamos passado para chegar ali e todos os desafios e conquistas que teríamos pela frente.

As pessoas que convivem comigo intimamente sabem que chorei poucas vezes ao longo da minha vida adulta. Este dia foi um deles, ao ouvir o Mestre Gabriel. As palavras dele me inspiraram a provocar mudanças profundas em minha vida e continuam a me inspirar a mudar cada vez mais coisas em todos os campos.

Refletindo sobre isso três anos depois, percebo que dei uma importância muito maior para o meio (as palavras que escolhi para dizer ao público). Tecnicamente, creio que foi um bom discurso e claro que havia sentimento nele. Mas eles ficaram ofuscados por palavras bonitas, conjugações corretas e adjetivos ilustres.

No outro extremo, vi o Mestre Gabriel totalmente focado na mensagem. Contando histórias, ensinando através de exemplos, mostrando que é um homem como muitos outros, mas com um sonho tão forte e grande que funciona como um combustível interminável para realizar seus objetivos, além de ajudar outras pessoas a conquistarem seus próprios sonhos.

Neste final de semana, a TSKF Consolação comemorará três anos e 200 pessoas terão uma nova oportunidade de ouvirem um pouco do nosso Mestre a respeito do Kung Fu e de sonhos. Não é sempre que temos a chance de aprender sobre Kung Fu com uma pessoa deste calibre.

Às vezes acabamos por escutar pessoas que nada tem a ver com o nosso Kung Fu e o pior, damos ouvidos à estas pessoas. Isso me lembra uma frase dita por Warren Buffet:

“Wall Street é o único lugar para onde se vai de Rolls-Royce pedir conselhos a pessoas que andam de metrô.”

Mas neste final de semana, poderemos escutar uma pessoa que é a referência em seu meio falar a respeito deste meio. Sem dúvida será uma maneira formidável de comemorar três anos de uma unidade fabulosa como a TSKF Consolação.

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Liderança

Como vocês sabem temos o objetivo de nos tornar a maior, melhor e mais bem sucedida academia de Kung Fu de todos os tempos.
  
Vocês também sabem que nenhuma grande estrutura pode ser erguida sem uma base muito sólida, e, é por essa razão que a TSKF investiu em sistemas como; Site, SGA, STD, GOC e a Loja virtual e ainda continuará investindo muito em tecnologia, afinal de contas essas coisas facilitam muito a nossa vida e sem dúvidas nenhuma será impossível irmos muito longe sem elas.
  
Existe uma coisa que muitas vezes é relegada a segundo plano que certamente dentro do nosso contexto atual e diante do nosso objetivo audacioso se mostra mais importante do que todas as outras, estou falando da liderança, estou falando do desenvolvimento pessoal de cada um de nós enquanto líderes e da formação de novos líderes. Estamos sempre procurando novos líderes, seja no dia a dia e principalmente através do nosso curso de instrutores que realizamos todos os anos.
  
Tenho falado constantemente que a TSKF não mais admite em sua linha de frente pessoas fracas, física, mentalmente, emocionalmente ou espiritualmente falando independente de qualquer que seja a sua religião. Em nossa linha de frente não tem mais espaço pra esse tipo de pessoa.
  
Então eu vos pergunto; como liderar sendo fracos, chorando pelos cantos e caçando alguém que ouça os nossos problemas, lamentações, reclamações e choramingações, que tipo de líder seríamos se agíssemos dessa maneira.
  
Vejam bem, nada contra quem não deseja ser líder, isso não é errado, se o mundo fosse somente de líderes estaríamos todos perdidos. Existem pessoas que jamais seriam felizes como líderes, precisam de um direcionamento, precisam de um norte, esses são os seguidores, isso não está errado e não temos nada contra eles, mas, pra estar entre nós em nossa linha de frente, deverá ser ou se tornar um líder e, portanto, deverá desenvolver a postura de um líder e agir como um líder.
  
Não pense que você poderá ser um líder negligenciando os pormenores da liderança, como por exemplo; o pormenor do exemplo. Não ache, por exemplo; que seu seguidor chegará no horário se você costuma se atrasar, não ache que seu seguidor cumprirá suas ordens se você mesmo costuma não cumprir as suas próprias, não ache que seu seguidor será honesto se você mesmo costuma não ser, não ache que seu seguidor será de confiança se você também não costuma ser. Certamente alguma vez na vida você já leu a frase; “A palavra convence, mas o exemplo arrasta” .
  
Seu seguidor seguirá o seu exemplo, por exemplo; se você é um líder ou aspirante a líder e tem um sonho pequeno, como espera inspirar novos seguidores a serem líderes e terem grandes sonhos. Se você é um líder sem entusiasmo, como espera inspirar seus seguidores e aspirantes a líderes serem entusiastas. Uma coisa leva a outra.
  
Muita gente hoje em dia deseja ser líder ou estar num cargo de liderança, mas não sabem que ser líder e estar num cargo de liderança são coisas muito diferentes. Ser líder não é fácil, mas certamente tem inúmeros benefícios e acho que é por essa razão que muitos desejam ser líderes ou estar num cargo de liderança.
  
Às vezes eu me pergunto, será que as pessoas que dizem que querem ser líderes realmente querem. Será que essas pessoas que dizem que desejam serem líderes tem mesmo cacife pra se tornarem líderes, será que sabem que terão que abdicar da maioria dos prazeres que as pessoas comuns tem, será que sabem que terão que ter dedicação e perseverança eterna, será que sabem que terão muitas vezes que abdicar dos seus finais de semanas, feriados, férias etc. Será que sabem que para um líder o seu trabalho é mais importante do que sua própria família.
  
Se você deseja ser líder não espere ter uma vida equilibrada dentro do conceito de equilíbrio ditado pelas pessoas comuns. O líder não é uma pessoa comum, portanto, o conceito de equilíbrio para o líder é coisa bem diferente.
  
Em janeiro de 2012 eu darei novamente o curso de instrutor que na verdade é um curso de liderança, então, se depois de ler tudo isso que eu escrevi você se sentir um pouco desconfortável não venha fazer o meu curso, pois certamente você ouvirá coisas que não deseja ouvir e certamente odiará nosso curso bem como a mim mesmo, agora se você já se inscreveu, ainda a tempo de você desistir.
  
Por outro lado, se você deseja fazer parte de um seleto grupo que é o grupo dos líderes e acha que tem cacife pra segurar as pontas e deseja passar de um nível comum pra um nível mais elevado custe o que custar, você ainda tem a oportunidade de se inscrever, pois, ainda restam algumas vagas, mas, lembre-se, de qualquer forma você não escapará do sofrimento, todo crescimento tem seu preço e a dor é apenas um deles.
  
Em nossa Convenção que se realizará no inicio do ano lançaremos mais uma vez algo inovador em termos de academias. Será algo mais uma vez sem precedentes que definitivamente alavancará tudo que já fizemos até agora e acelerará a nossa trajetória rumo ao nosso audacioso objetivo de nos tornar a maior, melhor e mais bem sucedida academia de Kung Fu de todos os tempos. Depois disso definitivamente entraremos para o seleto rol dos visionários, pioneiros e desbravadores que sempre deixam sua marca para a posteridade.
  
Seja você também um líder junto conosco pra que um dia você possa dizer, eu fiz parte disso.

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Destinos - Parte 2

Concluindo o post da semana passada (passou rápido!), vamos aos outros dois (e internacionais) destinos, onde competimos e nos divertimos:

Baltimore (EUA)

O campeonato de Baltimore, formalmente chamado de USKSF International Kuo Shu Championship Tournament é organizado por um grande grupo de pessoas, envolvendo os estilos Tien Shan Pai, Hung Gar e Bokfudo, para ficarmos em apenas três exemplos. Em 2012 ocorrerá a 24ª edição do evento, já com data definida: dias 27, 28 e 29 de julho.

Há algum tempo falo de Baltimore aqui no blog, portanto, tentarei não ser repetitivo. Mas se vc está chegando agora, vc precisa se preparar em três aspectos: ter passaporte e visto para os EUA, ter o capital para custear a viagem e a quantidade de diversão e compras que deseja. Por último, treinar muito: o nível de competitividade lá é algo fora de série e uma motivação a mais para treinar duro e sempre.

Viajar para os Estados Unidos, independente da situação econômica nossa ou deles é, ao meu ver, uma ótima lição de cidadania. Entender como funciona as coisas simples do dia a dia deles é uma experiência valiosa para o nosso desenvolvimento. Além disso, a região em volta do hotel onde é o campeonato (sim, vc fica hospedado no mesmo hotel onde ocorre o campeonato) tem boas opções de compras de eletrônicos (muito baratos) e roupas (tão barato que vc se sente ofendido). Comer porcaria lá é muito barato também, e comer direito é um pouco mais caro mas, nas devidas proporções, bem parecido com o que temos aqui.

Sobre as comidinhas, algumas dicas: não coma cookie mole, eles não têm Nesquik de morango e legumes no vapor é um prato ótimo.




Ulm (Alemanha)

A Alemanha é o nosso destino para vermos o Kung Fu da Europa. O evento é organizado pelo Shifu Alex Czech que, entre outras coisas, é um dos dois World Class International Referee e já esteve duas vezes aqui no Brasil, em nosso campeonato. Em uma delas ele iniciou o trabalho que mais tarde deu origem ao Time de Arbitragem de Kuoshu TSKF.

O campeonato ocorre durante o outono e mostra um clima radicalmente diferente do que encontramos em Baltimore. Enquanto nos EUA temos um calor de 39 graus, em Ulm podemos encontrar 3 graus. O curioso é que nem em um lugar e nem no outro isso é motivo de sofrimento: eles têm toda a estrutura necessária para que vc se abrigue do tempo e curta o clima da melhor maneira possível.

A cidade de Ulm é pequena e encantadora. Com o rio Danúbio correndo por ela, a cada esquina você pode tropeçar na história da Europa de várias épocas distintas. Ao mesmo tempo, a globalização que tanto se fala já domina todos os cantos do mundo: em um dos dias em que estivemos na cidade, comemos no Subway...

Mas este destino tem um característica que os demais não possuem: um desafio no melhor estilo TSKF.

Ulm possui uma igreja central que, ao custo de 4 euros, vc pode subir todos os 768 degraus. Segundo pesquisei na Wikipedia, trata-se da maior igreja do mundo e segue o estilo de arquitetura gótica (calafrios para os mais sensíveis).

Para quem quiser ter um bônus no seu exame de faixa preta (não precisa estar na ponta preta para cumprir o desafio) basta seguir a receita:

- Viajar até Ulm
- Competir no campeonato com a equipe TSKF
- Subir até o alto da igreja de Ulm
- Tirar duas fotos: uma das últimas gárgulas no topo da igreja, com o ano de conclusão da igreja e a outra da nossa marcação.

 

Posso dizer para quem topar o desafio: cuidem das suas pernas, tenham um bom agasalho, não esqueçam de levar água e andem sempre pela direita.



Qual é o bônus? Não sei não. Talvez um joinha/curtir do Mestre ou quem sabe?

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Destinos - Parte 1

“Toque sua própria buzina”, é uma das frases que nosso Mestre Gabriel costuma dizer, quando nos fala sobre promover o que fazemos, nosso trabalho, nosso modo de fazer Kung Fu.

E temos diversas coisas na TSKF que feitas de maneira separada, são apenas ações bacanas, mas quando as olhamos somadas, fica fácil entender que é o “estilo TSKF” de fazer Kung Fu. Uma destas coisas são as viagens que fazemos para competir em outros campeonatos.

Vamos imaginar um calendário “não-oficial” de campeonatos, um circuito de competições que gostamos de participar. Com isso, nossa primeira parada do ano acontece em maio, na cidade de Curitiba.

Curitiba

A Copa Senda de Kung Fu, realizada pelo Prof. Jorge Jefremovas do estilo Bei Shaolin Quan, é uma grande oportunidade para quem quer conhecer Curitiba, uma cidade maravilhosa e em um nível de planejamento acima do de São Paulo, dona de uma gastronomia exuberante (e com preços mais convidativos que por aqui).

Além disso, é uma chance de competir com um público diferente do que estamos habituados aqui em São Paulo. Isso por si só já proporciona uma oportunidade de desenvolvimento da técnica, fora a diversão com a viagem, que tem um custo relativamente barato, quando olhamos os demais destinos.



São Paulo

Colocar nossa cidade natal como um dos destinos pode parecer estranho. Mas seria ainda mais estranho falar de campeonatos e não citar o nosso próprio evento. O Brazil International Kung Fu Tournament Championship representa a visão TSKF de como deveriam ser os campeonatos, começando pelas inscrições online, passando pela premiação com medalhas de qualidade e prêmios em dinheiro para os lutadores, o local do campeonato e a abertura do Show Team.

Mais do que organizar apenas uma competição, organizamos um evento para toda a comunidade de Kung Fu. Hoje, este campeonato é o maior campeonato de Kung Fu fora da China que se tem notícia e dados. Como deixar de participar de algo tão grande e, ao mesmo tempo, tão próximo de nosso dia a dia?



Na próxima semana, falaremos dos dois outros destinos “anuais”: Baltimore (EUA) e Ulm (ALE).

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Novidades, novidades...

Novidade Parte 1 - International Kuoshu Cup

Temos o prazer de comunicar a todos que pela terceira vez a TSKF estará competindo no Campeonato Europeu na Alemanha na linda cidade de Ulm.

Estivemos em Ulm em 2007 no Campeonato Europeu em 2009 no campeonato mundial e estaremos lá novamente agora no dia 8 de outubro para o Campeonato Europeu desse ano.

Pra esse campeonato Europeu a TSKF estará patrocinando o nosso campeão Diego Sanches e o nosso árbitro internacional Danillo Cocenzo que irá arbitrar no evento.

No ano que vem estaremos pela nona vez consecutiva em Baltimore USA e em seguida na Malásia para o campeonato mundial.

Você que é da TSKF também poderá participar bastando somente se planejar pra na época ter passaporte, visto, tempo e dinheiro. Desses itens a única coisa que não está sob o seu controle é o visto o resto se você planejar certamente irá conseguir.



Novidade Parte 2 - TSKF Moema (Nova unidade)

É com enorme satisfação que anunciamos a todos que em breve inauguraremos nossa décima sexta unidade.

Será a TSKF Moema que se localizará na Av. Ibirapuera pertinho do Shopping Ibirapuera e da Igreja de Moema.

Essa unidade será mais uma opção onde nossos alunos poderão treinar principalmente os alunos de Campo Belo onde estamos quase lotados.

A TSKF é uma academia comercial, entretanto, mais tradicional do que as que se dizem mais tradicionais. O fato de sermos tradicionalistas não nos impede em hipótese alguma que estejamos à frente do nosso tempo. Nós não medimos esforços quando a palavra é inovação.

Inovamos com o GOC Gerenciador Online de Campeonatos, com o STD Sistema de Treinamento a Distancia e com o SGA Sistema Gerenciador de Academia. Para janeiro de 2011 teremos uma inovação sem precedentes que definitivamente nos colocará rumo ao nosso objetivo final que é nos tornar a maior, melhor e mais bem sucedida academia de kung fu de todos os tempos e temos certeza de que os maiores beneficiários dessa inovação serão nossos alunos.

Talvez você ainda não saiba ou ainda não se deu conta de que estamos escrevendo uma nova história no Kung Fu e que você também está fazendo parte dela treinando conosco. Um dia você olhará para trás e dirá; eu fiz parte disso.

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Amantes do Kung Fu

Exame de Faixa é igual se apaixonar, as pernas tremem, o coração acelera, aquele friozinho na barriga, e tudo isso se tornar mais emocionante quando o professor chama pelo teu nome para entregar-lhe a faixa. Um alívio de missão cumprida.

Não desanime se for reprovado, precisamos ter consciência de que a vida é feita de desafios para serem vencidos e não desistidos, essa última é uma característica dos fracos, os fortes que conseguiram dar um passo no tabuleiro da vitória. Um dos maiores exemplos é o nosso grande Mestre Gabriel P. Amorim, mesmo com todas as dificuldades não desistiu do seu sonho, não desistiu de nós alunos.

O Kung Fu não é sinônimo de violência e sim uma arte que nos ensina o que significa disciplina, equilíbrio, a valorizar cada parte do nosso corpo, com o domínio da mente sobre o corpo e do espirito sobre a matéria.
Em síntese, desejo boa sorte para aqueles que irão fazer o exame e deixo algumas frases de Kung Fu.

(Frases de Bruce Lee)
“No kung fu não interessa o quanto você aprendeu, mas o quanto absorveu”.
“Assim como uma torre começa pelo solo, o verdadeiro kung fu vem com o conhecimento básico. Uma base sólida é o caminho para dominar a arte”.
“É preferível dizer cem vezes "não" do que dizer "sim" uma vez e não cumprir sua palavra”.

*texto de Hanely Menezes, aluna TSKF Itaim

terça-feira, 20 de setembro de 2011

O Impossível não existe

Todos, em algum momento da vida, já sonhou em ser alguém especial, alguém importante ou reconhecido.
Quem já não fantasiou em ser um jogador de futebol, uma atriz ou ator famoso, em ser miss universo?
Quem já não sonhou em ter aquele carro, aquela casa? O trabalho ideal?

O problema mais comum em colocar objetivos em nossa vida.. é pensar que tudo é "impossível". Muitas pessoas desistem dos seus
sonhos quando começam a pensar... "eu não vou conseguir fazer aquilo, "isso é muito difícil", "é praticamente impossível,
ninguém consegue fazer isso".
Ainda bem que todos não pensam assim, se não existiriam coisas novas, ninguém iria inventar nada de novo.. Não evoluiríamos!

Se você se limitar com duvidas, você nunca vai ser capaz de se superar, e alcançar aquilo que acha ser impossível!
Há alguns anos se falassem que seria possível enviar uma mensagem para o outro lado do mundo em alguns segundos, diriam que isso
só seria possível em sonhos...

O impossível só existe até alguém fazer!!
O impossível não existe!
Só os fracos conhecem essa palavra, e as carregam por toda sua vida!

*postado originalmente no Facebook pelo instrutor Jorge Cruz - TSKF Consolação

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Ovomaltine com pera

Antes que alguém diga alguma coisa, sim eu sei que nenhuma pessoa é igual a outra e a TSKF foi desenhada pensando exatamente nisso. Procuramos tratar a todos de maneira diferente, mas isso não significa que não vamos trabalhar pra transformar moloides em homens de fibra forjados a fogo e ferro. Isso é nossa obrigação e nosso dever enquanto mestres de Kung Fu e aqueles que não forem se fortalecendo e acompanhando ficarão pelo caminho. A peneira do Kung Fu tem buracos muito largos.

As pessoas nos procuram por muitas razões e uma delas é pra se tornarem mais fortes e mais disciplinadas para enfrentar a vida, entretanto, na maioria das vezes, no primeiro aperto que damos, a pessoa choraminga faz biquinho e vai embora.

Não sei por qual razão, mas de trinta ou quarenta anos pra cá foi sendo criada uma geração de frouxos. Eu costumo dizer que a quantidade de frouxos subiu assustadoramente de alguns anos pra cá. Os pais fazem tudo que os filhos querem e eles se transformam em moloides. Eles acham que se não fizerem tudo que seus filhos querem eles crescerão revoltados. Na verdade o que a maioria da molecada está precisando mesmo hoje em dia é de uma boa surra de cinto daquelas que deixa vergão.

Precisamos de homens de verdade, homens que não se abalem por qualquer coisinha, homens que não entrem em depressão porque perderam o seu emprego, sua mulher ou sua namorada. Quando estou falando de homens estou falando de seres humanos homens e mulheres. Precisamos de homens de palavra, homens honestos, leais e de confiança.

Você sabia que quase 100% dos nossos alunos que reprovam no exame de faixa desistem da academia?. Pois é, da vontade de colocá-los no colo e dar umas boas palmadas. Alguns de vocês devem estar dizendo “ ei ei ei isso não é pra mim, eu sou forte eu não sou assim” , pois bem já tive faixas pretas primeiro tuan que desistiram porque reprovaram no exame. Sei sei, você é forte enquanto não acontecer com você, conheço bem o seu tipo.

Me da raiva de ver os pais criando moloides. Recentemente uma garotinha reprovou no exame de faixa e saiu chorando. O pai todo cheio de sabedoria veio correndo e a abraçou dizendo “vamos embora daqui, vamos treinar lá naquela outra academia que lá você vai mudar de faixa” . Senti pena daquela garotinha.

Estamos aqui pra forjar gente forte, gente de fibra, gente de palavra, gente com o espírito do guerreiro, que não se abala por nada e que morre de pé. As pessoas hoje em dia vivem falando no espírito marcial, espírito do guerreiro, e bla bla bla, sem nada saber a esse respeito, então, eu vou contar alguns casos ocorridos comigo ao longo desses trinta e poucos anos treinando Kung Fu.

Na época que eu treinava Kung Fu, eu treinava de segunda, quartas, sextas, e sábados a tarde na aula especial que ia das 14h00 até quando o mestre quisesse ou seja, não tinha hora pra terminar, as vezes terminava as 16h00 outras vezes as 18h00 e algumas vezes lá pelas 22h00 ou mais, num desses treinos eu perdi quatro quilos. Como eram os treinos eu conto algum dia pra vocês. Antes que eu me esqueça, nessa mesma época eu treinava ginástica aeróbica as terças e quintas e aos domingos eu sempre ia correr dez quilômetros na USP com um amigo meu.

Durante aquela época e com aqueles treinos duríssimos, desloquei o ombro direito três vezes. Você pensa que eu parei de treinar. Não não não, eu pedi que minha esposa fizesse uma tipóia de elástico pra que eu pudesse prender o ombro e ele não deslocasse, e ia treinar normalmente. E não fique ai pensando que eu não fazia as flexões de braços não. Quem já deslocou o ombro sabe que da primeira vez você vomita de dor.

Nesse mesmo período, jogando futebol de salão pela empresa onde trabalhava torci feio o pé e fui ao ortopedista e ele me engessou. Ocorre que no domingo, meu amigo passou em casa pra irmos correr nossos dez quilômetros na USP. Como eu tinha combinado com ele, e não gosto de descumprir uma palavra, falei pra ele esperar um pouco, então, peguei uma faca, serrei o gesso e fui correr os dez quilômetros. Palavra é palavra.

Numa outra época, eu não estava me sentindo muito bem, mas, meu amigo passou em casa pra irmos correr, então eu fui. No meio da corrida, comecei a ter um mal estar e comecei a peidar muito, isso mesmo pode rir, mesmo passando mal resolvi terminar os dez quilômetros. No outro dia fui ao banheiro e defequei como borra de café, então, fui ao médico. Sabe o que ele me disse? Disse que eu estava com hemorragia interna e que eu não podia sair dali sozinho. Falei que ia pra casa, e ele disse que não. Fim da história, meu amigo teve que vir buscar o meu carro, e eu fiquei internado por uma semana.

Em 1996 eu montei a primeira TSKF. Nessa época eu trabalhava das 8h00 às 17h00, saia correndo do serviço e entrava na academia pra dar aulas sozinho as 18h00, que era o primeiro horário. Como eu montei a primeira academia sozinho estando trabalhando o dia todo já é outra história pra outra ocasião. Ocorreu que um mês depois que eu abri a academia eu fui jogar futebol e pisei num buraco no gramado e tive uma semi-ruptura do Tendão de Aquiles. Sabe quanto tempo eu demorei para sarar dessa lesão? Sete anos, Sabe quantas vezes eu deixei de dar aulas por causa disso? Nenhuma. Sabe quantas vezes eu reclamei para algum aluno que estava lesionado? Nenhuma. Sabe de uma coisa, eu não tinha para quem reclamar, eu só podia fazer duas coisas, desistir ou continuar.

Em 2003 por conta do campeonato mundial de Kuoshu que iria acontecer no Brasil eu fui convidado pra organizar uma demonstração com cem alunos. Até aí maravilha. Eu adoro Kung Fu e gostei da ideia. Foi assim que começaram os treinos no Parque do Ibirapuera, e continuam até hoje com o pessoal do nosso ShowTeam. Bom, vocês devem estar pensando, mas o que tem isso a ver com o papo até agora. Ocorre que eu tinha hemorroidas, e naquele mês eu estava verdadeiramente atacado. Minha hemorroida estava do tamanho de uma jabuticaba, e provavelmente da mesma cor e doía para caramba por causa do frio do mês de julho. Os treinos no Ibirapuera eram as oito horas da manhã, então eu levantava as seis horas, esquentava água, colocava numa bacia, colocava permanganato de potássio, e fazia meia hora de banho de acento pra amenizar a dor. Num certo dia estava eu fazendo o banho de acento, e quando levantei da bacia percebi que no fundo havia uma pelota esquisita parecida com fígado, então eu enfiei a mão na bacia e peguei aquele troço que era uma coisa nojenta parecida com uma gelatina de fígado. Era sangue coagulado da minha hemorroida que havia estourado. E agora, eu tinha duas opções, largar o pessoal me esperando no Ibirapuera e simplesmente não aparecer, e depois dizer que estava doente, ou ir daquele jeito mesmo. Eu escolhi a segunda opção, o problema é que eu estava sangrando pelos fundilhos. O que eu fiz foi o seguinte: Pedi para minha esposa um absorvente, e lá fui eu dar o treino como uma mulherzinha, afinal de contas, palavra é palavra. Pergunta se alguém percebeu minha cara de sofrimento e se eu reclamei de alguma coisa. Não senhores, eu não tinha pra quem reclamar, temos que ser fortes e homens de palavra. É por essas e outras que jamais aceito desculpas de ninguém, e sempre digo “as desculpas mesmo quando verdadeiras não levam a nada”.

Da próxima vez que você for choramingar ou dar uma desculpa, pense muito bem, e decida se você quer ser um homem honrado, de fibra e de palavra, ou se vai preferir tomar o seu ovomaltine com pêra e chorar no colinho quente da mamãe.

domingo, 11 de setembro de 2011

Assim dizia nosso Mestre Gabriel: AO BEBER DA ÁGUA CONVÉM LEMBRAR A FONTE.

Desde que comecei a treinar na TSKF escuto essa filosofia oriental dita sabiamente pelo nosso Mestre Gabriel. E muita gente ainda peca por não dar a devida importância a essa frase.

Todos nós temos pessoas a quem agradecer nesta vida. Desde o dia em que nascemos até hoje, alguém nos acolheu, nos ajudou, nos educou, nos incentivou, nos amparou, nos elogiou, nos deu oportunidades... Enfim, sempre temos um motivo para agradecer a alguém. Para falar a verdade temos muitas pessoas para agradecer.

O Mestre uma vez disse pra gente assim: “Quando você abre sua gaveta para escolher uma roupa e as vê em perfeita ordem, limpinha, cheirosa e bem passada, saiba que alguém fez aquilo por você. Pode ter sido sua mãe, sua mulher ou sua avó.”

Ao dizer isso o Mestre estava se referindo a essa mesma filosofia que fala exatamente sobre isso, ou seja, ser grato as pessoas e ao Universo pelo que temos, valorizando de onde provém tudo aquilo que adquirimos ou utilizamos.

Infelizmente, o que vemos é exatamente o contrário onde as pessoas além de não serem gratas ainda reclamam do que acham que lhes falta, seja na academia ou na vida.

Já tivemos casos, principalmente nas redes sociais, sobre alunos da TSKF (alguns fakes e anônimos) reclamarem em público de seu professor ou da própria academia. Para essas pessoas citarei a música que o Mestre sempre cantava pra gente. Por favor, leia cantando no ritmo da música do Raul Gil. Sabe aquela do banquinho? O Raul perguntou você não acertou... Essa mesma!

Segue a versão do Mestre Gabriel:

O Mestre bronqueou...
Você não aceitou...
pegue o seu biquinho...
e saia rapidinho...

O Mestre sempre disse que o papel da TSKF nunca será agradar a todos. Para que isso acontecesse as pessoas teriam que ter os mesmos anseios e desejos, ou seja, teriam que ser iguais. Loucura, não é??? Mas saibam vocês que a TSKF sempre fará o melhor que puder para beneficiar a grande maioria. Se analisarmos o que acabei de escrever, “fazer o melhor para a maioria” talvez seja esse um dos ingredientes de sucesso que toda empresa almeja, no caso aqui a TSKF.

No entanto, note que eu disse BENEFICIAR e não SATISFAZER. Muitas vezes somos beneficiados, mas sem necessariamente sentir satisfação imediata. É da natureza humana não sentirmos satisfação plena e total. Talvez seja um dos artifícios do Universo para evoluirmos.

Por exemplo, quando seu professor pede para você fazer flexões e abdominais e você está cansado por ter tido um dia cheio no seu trabalho, claro que você não sentirá satisfação imediata por fazer os exercícios, mas com certeza terá benefícios a longo prazo por tê-los feito.

Quando você adentra sua academia saiba que os instrutores estão ali para lhe fornecer o melhor que eles puderem.

Esteja certo de que tudo que você recebe da TSKF foi feito com todo carinho e cuidado.

A TSKF foi idealizada e fundada pelo Mestre Gabriel sendo posteriormente ampliada pelos seus seguidores para lhe oferecer condições melhores do que havia antigamente.

Hoje em dia, se você parar pra pensar nós só temos o que agradecer pela infra-estrutura que a TSKF nos proporciona através da diligência com que o Mestre Gabriel a dirige.

O Mestre listou algumas das qualidades e conquistas da TSKF nesses 15 anos de vida. Veja aqui se você tiver facebook.

Portanto, hoje você treina na TSKF que é a academia mais comercial, tradicional, transparente, lucrativa e informatizada do Mundo e que tem um Mestre visionário a frente de seu tempo. Esse mesmo Mestre polêmico quebra todos os tabus e mitos que criaram acerca do Kung Fu e de como deveria ser um “Mestre de verdade”.

Então, sempre que você pensar em reclamar da sua academia, seu professor, ou qualquer coisa na vida lembre-se da filosofia “AO BEBER DA ÁGUA CONVÉM LEMBRAR A FONTE”.

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Trilha Sonora

Em um post anterior falei a respeito de uma música, se você não leu ne época, pode ler aqui. Semana passada, meio que sem querer esbarrei em uma nova música muito interessante, pela letra e pelo clipe.

Temos alguns momentos na vida em que passamos por situações desagradáveis, que tiram a nossa energia, vamos dizer assim. Uma discussão ruim, desistir de algo sabendo que não deveria desistir, tomar uma decisão errada que nos leva a um lugar ruim. Às vezes trata-se de uma decisão dura e difícil que você terá que tomar ou já tomou.

Pode ser que isso aconteça sem uma ação ativa sua. Fatos ruins simplesmente podem acontecer além do seu controle. Isso pode te levar a se decepcionar com coisas e pessoas, descobrir que aquela pessoa/emprego não era como vc queria.

Mas, como o Mestre Gabriel já disse: temos que ser mais fortes e seguir em frente em busca do nosso sonho.

Ser forte pode significar ser como uma fortaleza. Inabalável e imponente frente aos problemas...

Mas também pode significar ver além das coisas ruins. Tirar forças e renovar as energias com tantas coisas boas que temos ao nosso redor.

Foi isso que entendi ao ver esse clipe:



A letra original pode ser vista aqui. E a tradução (horrível, mas dá uma idéia) pode ser vista aqui.

terça-feira, 23 de agosto de 2011

Calejamento




Revolvi hoje abordar a prática do calejamento. Antes de iniciar devemos entender um pouco mais sobre as estruturas do nosso esqueleto, do que ele é formado e quais suas transformações ao longo da vida.
Muita gente ainda acha que nossos ossos são um tecido morto, um maciço de cálcio que nos acompanha do nascimento até a morte. Na verdade, o esqueleto, assim como os outros órgãos, possui vascularização e enervação, ou seja, é irrigado por sangue e repleto de nervos. Ora, agora podemos entender porque dói tanto quebrar um osso.
Por ser um tecido vivo que constantemente sofre modificações, é na alimentação que obtemos minerais suficientes para supri-lo. A todo o momento células ósseas morrem, e outras são construídas em seu lugar.
Nos ossos longos de corpo (por exemplo, os ossos do braço, ante-braço, coxa e perna) existem membranas que são responsáveis pela construção dessas novas células. O endósteo, que reveste o osso por dentro da cavidade medular, e o periósteo, que reveste o osso na parte externa.
No estudo da anatomia e fisiologia, costuma-se dizer que nosso corpo tem capacidade morfofuncional (morfo = forma; funcional = função;). Isso indica que as partes de nosso corpo adaptam suas formas de acordo com a função desempenhada. Para entender melhor é só analisar a diferença do tamanho dos osso da coxa e perna, com os osso do braço e ante-braço. Os primeiros são maiores e mais rígidos, pois a todo momento precisam suportar uma carga de peso bem maior que as do membro superior.
Quando realizamos um calejamento, batendo um membro ao outro, ou um objeto ao membro, estamos alterando a função daquele osso específico, pois não estava em sua função original suportar um golpe com tal direção e força com naturalidade. Quando isso acontece, certamente, pelo estudo da morfofuncionalidade, a forma do osso irá se adaptar à nova demanda. Podemos observar que depois do calejamento, a parte golpeada apresenta uma proeminência macia e dolorida, algumas vezes de cor arroxeada (hematoma).
Por que isso acontece? Simples. O golpe aplicado danifica o periósteo (revestimento do osso) e outros tecidos adjacentes daquela região, causando uma pequena inflamação regada a um líquido altamente osteogênico (que tem a capacidade de mineralizar e originar tecido ósseo). Por isso que logo depois do calejamento sentimos a tal proeminência macia.
Com o tempo, este líquido promoverá além da cicatrização do periósteo, uma calcificação local na proeminência gerada pelo golpe. Agora a parte anteriormente calejada, está preparada para novos golpes no futuro.
Porém este “calo” construído não é vascularizado assim como é a formação original do osso, por isso depois de um tempo ele desaparece, caso não seja re-estimulado.
O difícil é saber a força exata a ser aplicada no calejamento, pois intensidade em excesso pode machucar o tecido além do esperado, e a inflamação pode ficar séria. Uma grande inflamação, além de não criar a proeminência típica do calejamento, exige muito de nosso sistema imunológico, nos deixando suscetíveis à outras debilidades.


Sandro Conte Febras

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Mestre Gabriel um exemplo a ser seguido

Tenho testemunhado muitos acontecimentos durante esses 15 anos de TSKF. Considero-me um sortudo por ter como tutor o Mestre Gabriel. Nesses 15 anos ouvi muitas histórias que ele nos contava no final da aula, no meio da ginástica ou em algum evento (mais um motivo para vocês não perderem eventos da TSKF). Hoje em dia sei que o Mestre nos ensinava através daquelas histórias. Sei disso porque vejo grandes palestrantes discursando exatamente como o Mestre fazia. Não digo exatamente, pois, você nunca verá alguém contando as mesmas histórias e do mesmo modo, simplesmente porque as pessoas passam por experiências diferentes. Muitas vezes as mensagens são as mesmas (dizem que a “verdade” é universal), mas contadas de formas diferentes. A essas experiências o Mestre dá o nome de conhecimento de causa. E eu adorava ouvi-lo! Gostava tanto que lembro até hoje da maioria delas e procuro passar de vez em quando para os alunos do Tucuruvi onde dou aula atualmente. Notava que na época em que treinava como aluno alguns amigos meus de treino não gostavam quando o Mestre discursava e lhe torciam o bico. Hoje percebo que eles torciam o bico, porque doía no interior deles ouvir algumas verdades e eles preferiam desistir da academia a ter que enfrentar suas próprias mazelas. Em mim também doía, mas eu sempre pensava (e ainda penso) que era para o meu crescimento pessoal.

Mas eu só comecei a desenvolver mesmo no Kung Fu e nas outras áreas da vida quando eu passei a escutar o Mestre. Mas como assim? Ouvir e escutar não são a mesma coisa? Definitivamente não. Ouvir qualquer um ouve desde que seu ouvido esteja funcionando perfeitamente. Mas escutar é diferente. Escutar é quando você ouve, reflete e aplica, ou seja, você entende (ou procura entender) o que ouviu e age de acordo. Você pode ouvir três pessoas contando histórias diferentes e ao mesmo tempo, mas não passará disso, pois nunca compreenderá nenhuma das três. Em suma quando você escuta você presta atenção e quando ouve apenas ouve.

Até hoje eu aprendo com nosso Mestre e terei muito a aprender, pois ele segue desbravando o “caminho das pedras” para todos nós. Comecei esse texto me considerando um sortudo. Então, mudarei dizendo que todos nós devemos nos considerar sortudos, pois, temos um Mestre como exemplo, que tem a capacidade de nos transmitir seus conhecimentos e que não para de galgar os patamares mais altos da excelência a fim de se aperfeiçoar e continuar nos ensinando. Entenderam agora porque sou tão grato ao Mestre Gabriel?

Mas atenção!!! Essa é apenas uma das formas que o Mestre utiliza para ensinar. Há muitas outras maneiras que ele usa para nos mostrar o caminho para o sucesso. Não me pergunte todas elas, porque assim como vocês eu também estou aprendendo.

De vez em quando, compartilharei neste blog com todos vocês algumas histórias contadas pelo Mestre Gabriel e tentarei ser fiel quanto à exatidão de detalhes dentro da capacidade da minha memória (não que eu seja velho, claro). Compartilharei também com vocês minhas próprias histórias, pois pode ser que alguns de vocês estejam passando pelas mesmas dificuldades que tive ao longo desses anos e possa ser útil de alguma forma.

Para encerrar direi agora o que o Mestre Gabriel sempre nos alertou. Ele dizia assim “Não acredite em mim, pois ninguém é o dono da verdade. O que lhe servir guarde para si e o que não servir jogue fora”.

Mas por favor, primeiro ESCUTE a mensagem, depois REFLITA e caso a carapuça não lhe sirva, então você pode descartá-la.

Essas histórias são pérolas e como toda pérola deve ser bem guardada e apreciada.

Desejo do fundo do coração que elas o toquem tão profundamente quanto fez comigo.

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Forja

Então, meu caro, vamos repassar o tratamento dos metais para forjarmos as espadas dos clientes:

Você pode usar dois tipos de fogo para tratar o metal, o mais forte e o mais brando. Claro que forte ou brando depende de cada um. No meu caso, tenho mais de 30 anos nesta profissão, meus dedos são chamuscados e a pele, grossa pelos longos dias de trabalho. Meu fogo forte pode não ser o mesmo do seu, ainda não habituado com as horas extras do final de semana, quando cortamos a lenha para preparar nossos estoque que serão usados ao longo da semana. Mas não se preocupe com isso...apenas faça o melhor que puder, tenho certeza que você se sairá muito bem e tenho certeza que irá evoluir com o tempo. Essa confiança no seu crescimento em direcão ao seu sonho é que me permite aceitá-lo como meu aprendiz.

Voltando à questão dos metais: usar o fogo forte permitirá ganhar tempo e moldar metais mais difíceis e resistentes à mudança. Mas nem tudo é simples: o fogo muito forte para o metal errado fará com que o metal se perca e não sirva mais para ser usado nem para fazer um garfo. Por isso, tempo e treino o tornarão apto a identificar quando usar o fogo forte no metal certo.

Agora, ao fogo brando. Alguns metais são mais frágeis. Outros metais são muito fortes, mas têm o seu próprio tempo de desenvolvimento no fogo para se tornarem maleáveis para o que queremos. Nestes casos, devemos usar o fogo brando por um longo período de tempo. Paciência e esforço contínuo em alimentar o fogo na medida certa é o que deve ser feito para se obter uma lâmina bela e afiada.

Não caia no engodo de acreditar que apenas as armas forjadas pelo fogo forte é que são as melhores. Eventualmente, um punhal bem feito pode ser muito mais decisivo que um sabre.

Com isso, podemos ver que na nossa profissão, não basta ter um braço forte, mas saber identificar e perceber como o metal pode ser moldado, de acordo com a expectativa de seu cliente.

Fogo e metal são nossos ingredientes diretos. Nossa vontade e dedicação também entrariam na receita, mas se eu precisasse te dizer que essas duas coisas devem entrar, significaria que você ainda não está pronto para ser aprendiz.

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Ohana

Vendo algumas discussões na internet nestes últimos dias, lembrei deste trecho do desenho Lilo e Stitch da Disney. O trecho mais importante do vídeo abaixo diz que "Ohana significa 'família', 'família' significa que ninguém é deixado para trás".


Ao longo destes 15 anos, construímos a TSKF sempre pensando em uma família e este pequeno vídeo reflete bem isso. Para o lado bom e para o lado mau.

O que quero dizer com lado mau? Simples. A família não deixa ninguém para trás, mas um integrante da família pode decidir ficar para trás. E este livre arbítrio vem acima da própria família, já que estamos falando de uma família onde as pessoas DECIDEM fazer parte, não "apenas" nascem nela.

Mas mesmo o lado mau tem um lado bom: esta família raramente vira suas costas para alguém que decida abraçá-la uma vez mais no futuro, a qualquer tempo.

Afinal, ninguém é deixado para trás.

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Danillo Cocenzo: Árbitro Internacional

Nosso Mestre Gabriel nos enviou um e-mail, da qual recebi com muita alegria e estou compartilhando com todos vocês através deste blog.

Nosso querido instrutor Danillo Cocenzo se graduou como árbitro internacional no campeonato de Baltimore.

Não contente com isso ele se graduou como o melhor da turma.

Não contente com isso ele ainda arbitrou várias lutas, inclusive de semi contato.

Não contente com isso ele ainda foi chefe de área de formas e segundo o Mestre debulhou seu inglês.

Aproveito para parabenizá-lo e dizer que esta conquista foi mais do que merecida. O Danillo é um dos instrutores que mais vem contribuindo para o crescimento da TSKF. Para quem não sabe ele é meu instrutor no curso de arbitragem de Lei Tai da qual ministra na Matriz. Esse curso está colocando a TSKF cada vez mais no top em relação ao desenvolvimento da arbitragem de Kuoshu no Brasil.

E agora que nosso instrutor se graduou como árbitro internacional com certeza trará mais novidades e experiências vividas em Baltimore para compartilhar conosco.

Grande Danillo Cocenzo!

Parabéns!!!

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

The Hallway

Since I'm still in Washington I decided to write this post in english...Ok, not a very good english, but at least one you could say ok. To my student Paula Sporleder I leave the right to correct anything she wants, just like when I correct her in her moves. =)

When we arrived in Baltimore on Sunday (24), I started to check all the hotel because my Referee Course was going to begin in the next day and I tought that will be a good idea to know where to go during the week. Then I found the same Hallway, showed below.



When I first came here in 2008 I did my last fight for TSKF on the Lei Tai, and this hallway was the access to the Preparation Area and to the Main Ballroom, where the fights occur. I cannot deny that I was scared that time and that's was one of my motivation to fight: control the fear. Even when it's mean to fight in another country, in the house of Kuo Shu.

Well, I got some injury on the neck during the first 30 seconds, but with Shifu Nelson's support I was able to put myself together and, despite of the loss in round 1, I won the match, beating up my opponent (from our friends of Yee's Hung Ga) on the rounds 2 and 3.

Three years later here I was: again in the same hallway, dealing with my fears again. These time against heavier opponent: be alone with my english, be at the Referee Course, take practical and theorical exams. This last one means written exam, with dissertative questions and about 3 hours and a half to finish it.

Step by step I started to make my way through the week and I could show my previous experience as referee and it helps a lot. Made some new friends, worked as teammate with awesome guys from New Zeland, U.S. adn Switzerland. At Friday night my new friend Angie Dominguez alerts me that the results are already avaliable, and from the Shifu Rob Simpson's hands I received my results and discovered that now I'm International Referee B.

If I stop here anyone could say that's a happy end. But in Saturday, Kimba, another friend and Shifu Nelson's student, said to me that Shifu Simpson wants to talk with me. Sure that will be bad news.

Nothing against my test results, just the opposite: Shifu Simpson said something like: "Danillo, should be interesting to test you on the Lei Tai tonight, during the elimination rounds. Be here when we start the match number 34. You will go up in the match number 37 and will leave after the match 38. Do you understand?"

"No problem, Shifu. Tou ^%dido mas no problem..." I said. With a smile, of course.

We were in the match number 28 and I got some time. I left the Main Ballroom and, once again I was looking to the same hallway, full of fighters and coaches. But this time, the hallway looks different: I feel no fear this time. I was a fighter and already was referee in Brazil. That hallway and me just finished our business this year and I won. Now it was just a hallway, filled with my memories.

With this, I started the time of giving back to a tournament who did so much for me.

terça-feira, 19 de julho de 2011

Do You Remember?

Lembrei dessa música aqui ó:


Ano passado eu falei sobre o campeonato de Baltimore deste ano. Se você é novo por aqui, não se lembra ou perdeu esse post, pode vê-lo aqui.

De lá para cá, evidentemente, algumas coisas mudaram...O dólar está mais barato e as passagens aéreas também estão mais em conta (chato neh?).

Mas o mais importante é lembrar da força do planejamento. Quem se planejou para fazer esta viagem, está chegando o momento de curtir.

Para quem não poderá ir neste ano, ano que vem tem mais e o momento de tomar a decisão de ir é agora, com tempo suficiente para montar seu plano e fazer parte do time da TSKF para 2012. Além de que, ano que vem teremos também o Mundial da TWKSF, na Malásia.

Nos próximos posts falarei sobre o campeonato, os EUA e o plano (com custos) atualizados deste ano, para ajudar o planejamento de quem quiser ir no ano que vem.

terça-feira, 12 de julho de 2011

New Faces, New Directions

(sim, estou assistindo Glee...)

Um dos segredos para uma empresa ficar na ativa por tanto tempo é saber se renovar, sem perder sua identidade. Os videogames de 8 bits da Nintendo evoluíram, mas sempre há um jogo para todos as idades disponível nas diversas plataformas, geralmente associado à um personagem carismático como o Mário (que Mário?).

Na TSKF também procuramos agir assim, mantendo nosso Kung Fu como ele é, mas reinventando em várias outras frentes, mantendo o dinamismo de nossa realidade. Hoje, nossas academias contam com WiFi para alunos e pais e todas as unidades usam tatames de EVA. Aparentemente coisas simples, mas que eram raridade há 5 ou 10 anos atrás no nosso meio e ainda não são realidade em muitas outras academias de Kung Fu.

Mudar envolve pessoas também, que muitas vezes se juntam à nós e agregam valor para a família, mas outras vezes as pessoas se separam de nós para seguirem seu próprio caminho rumo ao Sucesso e a Felicidade.

Assim sendo, as novidades nas academias são as seguintes (ok, algumas nem tão novas assim, mas vá lá):

Karen Colin
A "nova" instrutora da Matriz. Karen faz parte de uma nova geração de instrutores. Jovem e alegre, sabe ser bem sisuda quando necessário, especialmente quando está conosco no Time de Arbitragem.

Ludmila Fontana
A Lud sempre gostou de se envolver com as atividades da academia e viu na TSKF sua segunda casa. Agora ela é parte da família também, ajudando as pessoas a vencerem seus desafios. É a nova instrutora da Vila Madalena.

Thaís Luvisotto
Após um grande sucesso na TSKF Campo Belo, a Thaís assume um novo desafio no Tatuapé: tornar a academia da Zona Leste uma das maiores de nosso grupo. Firme e decidida, será apenas uma questão de tempo para que isso aconteça.

Mariane de Castro
A esposa do Shifu Luiz é um dos ingredientes do sucesso dele. Mas a Mari não é apenas isso: ela também é uma instrutora dedicada e devotada aos seus alunos. Integra também a nova equipe do Tatuapé.

César Augusto
O antigo aluno da Consolação é mais um que vem para somar na "nova cara" do Tatuapé. Dedicado aos treinos e apaixonado pela Arte, terá o ambiente ideal para se desenvolver e desenvolver seus alunos.

Caio Hitoshi
O "Japonês" é dono de uma técnica muito boa e de um bom humor sem igual. Agora em uma nova casa, será mais um motivo para bons treinos e boas risadas no Campo Belo.

Elisa Sayuri
Ok, ok, já faz tempo que ela está no Campo Belo, mas eu incluiria ela também dentro da nova geração de instrutores que temos. Imersa na cultura do Kung Fu é uma atleta ímpar e uma instrutora especial.

Fernando Dalcin
Já conhecido por ter atuado no Tatuapé e Matriz. Agora de casa nova e espírito renovado, o Dalcin terá mais um salto de evolução sob tutela do Shifu Luiz no Tucuruvi, além de poder auxiliar os alunos com uma experiência diversificada.

Jorge Henrique
Uma das marcas do Jorge é se dedicar integralmente ao que decide fazer, sempre buscando a performance máxima. Isso lhe rendeu uma evolução rápida e sólida dentro da TSKF. Agora, os alunos da Consolação tem mais um bom exemplo para seguir.

Sucesso à todos, sejam novos ou "velhos de casa nova"!!

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Jovem Shifu

não tão jovem assim

O campeonato deste ano foi, sem dúvida alguma, regido pela emoção e é sobre uma delas que este post fala. O Luiz Fabiano, sócio das unidades Tucuruvi e Tatuapé foi graduado, após 15 anos de dedicação aos treinos e ao crescimento da TSKF, 4ª. Tuan, atingindo o posto de Shifu.

Eu sempre me lembro do Shifu Luiz bem sério, quando eu ainda estava começando como instrutor e, gradativamente, tive a oportunidade de me aproximar dele, um pouco pelo trabalho que fazemos no STD e um pouco pelo fato de estarmos no mesmo Time da Matriz.

Aos poucos, percebi que atrás de toda aquela seriedade, há uma pessoa divertidíssima, de riso fácil e aberto, que domina o seu Kung Fu como ninguém.

Percebi também que atrás daquele riso fácil e aberto, existe um homem  firme e severo, que pode silenciar um grupo de pessoas apenas com o olhar. Eu mesmo confesso que já senti isso através de uma pequena mudança no tom de voz dele durante uma conversa qualquer.

Com esta dualidade de alegria e firmeza, riso e severidade, ele vem formando alunos e instrutores da mais alta qualidade, que já possuem inclusive suas próprias academias.

Desejo ao Shifu Luiz toda sorte nesta nova etapa de sua vida dentro do Kung Fu. Que ele continue sendo o exemplo de onde uma pessoa pode chegar, seguindo os ensinamentos de nosso Mestre.

terça-feira, 28 de junho de 2011

15 anos

Nesta semana, comemoramos os 15 anos de existência da TSKF e gostaria de propor uma reflexão à você: 15 anos é muito tempo ou pouco tempo?

Se pensarmos na existência de uma empresa no Brasil, é muito tempo. A maioria das empresas costuma falir em até 2 anos.

Se pensarmos na existência de uma academia de Kung Fu Tradicional, olhando para a China, é pouco tempo. A Associação Atlética Chin Woo tem 96 anos de existência.

Se pensarmos no ser humano, é pouco tempo. Como um garoto ou garota de 15 anos já pode dizer com certeza o que vai ser quando crescer?

Se pensarmos no ser humano, é muito tempo. Aos 15 anos, biologicamente falando, as meninas já são praticamente mulheres e os meninos, praticamente homens.

Refletindo sobre os exemplos acima, posso dizer à você que, na minha visão, 15 anos é pouco tempo. Não pelo fato da Chin Woo ter 96 anos, mas porque ainda estamos escrevendo a história do Kung Fu no Brasil. Cada um dos nossos alunos representa um personagem e, muitas vezes, um capítulo fundamental dessa história. Exemplos de superação, persistência, nobreza e compromisso são encontrados em qualquer uma de nossas unidades. Em paralelo, exemplos de companheirismo e compromisso com a evolução da Arte são encontrados também em diversas outras escolas de Kung Fu em que temos fortes laços de amizade.

Há muito para ser feito e muito para ser construído. A TSKF ainda é uma academia em sua adolescência que precisa e deve crescer mais, além de ter a missão de apoiar a comunidade de Kung Fu do Brasil e contribuir para o seu crescimento.

Porém, não devemos medir a idade das coisas e pessoas pelo acúmulo de anos em um calendário. Devemos medir a idade das coisas e das pessoas pela quantidade de feitos realizados ao longo do tempo. E é por isso que temos que ter orgulho de comemorar estes 15 anos de TSKF.

Vamos celebrar estes 15 anos, não apenas pelo que passou, mas vamos celebrar estes 15 anos pela certeza de que estamos construindo a estrada necessária para que nossos filhos e netos comemorem 150 anos de TSKF.

sábado, 25 de junho de 2011

É Hora do Show! (Parte 1)

E Julho finalmente chegou! (Para a alegria de alguns e desespero de outros).

O tão esperado 3 de Julho será no próximo domingo, vindo junto um evento em que muitos atletas se prepararam para competir, o Brazil International Kung Fu Championship Tournament 2011. O maior que teve até hoje!

E para abrir com chave de ouro o maior evento de kung fu realizado no Brasil, teremos um espetáculo de altíssimo nível, realizado pelo Show Team! (Diga-se de passagem, suor e sangue foram dados por todos os participantes que treinaram há meses para tal evento)

Para quem ainda não conhece, o Show Team (antigamente nomeado como Demo Team) é a equipe que sempre preparou a abertura do Brazil International Kung Fu Championship Tournament. Ela é liderada atualmente pelo William Costa Lopes, junto a Anderson Cunha e Diego Sanches. Todos os anos o evento sempre começou com emocionantes shows mostrando toda a arte e a beleza do kung fu.

E esse ano não será diferente. Foi preparado um espetáculo representando os 15 anos de TSKF em apenas 6:30 min de apresentação. Sem dúvidas será um marco que todos os alunos da TSKF não podem perder.

Para quem ainda não conhecem o Show Team, acessem:

Não percam esse espetáculo, e aproveitem para ano que vem fazerem parte desse show também!

E aguardem a segunda parte do Post, onde teremos entrevistas com os líderes do Show Team.

terça-feira, 21 de junho de 2011

Cocenzo´s Beat

Nas unidades Mooca e Vila Madalena existe um set de músicas que gosto de usar em aula eventualmente. Os sets não são exatamente iguais, mas tem várias músicas em comum. São músicas mais animadas e gosto de usá-las por duas razões: elas ajudam a manter o treino intenso, mas com a energia agradável e contém algumas impressões pessoais.

Uma das músicas em comum nas duas unidades é a The Scatman, feita por Scatman John. Tenho um apreço especial por ela devido a mensagem que ela passa e pelo histórico do artista.

Bem, primeiramente vamos ver a música, afinal a maioria aqui talvez não conheça a dance music dos anos 90 (que hoje costumam chamar de house):




Ok, ok, você pode ser fã do bom e velho Rock, como os alunos aqui da Vila Luiz Segala e a Paula Sporleder, mas o que tem de interessante nesta música em especial é o seu artista: Scatman John era gago. E a sua gagueira, num primeiro momento quase destruiu sua vida, mas ele soube usar sua maior falha para se tornar seu grande diferencial de sucesso.

Você se arriscaria a dizer que ele era gago, apenas assistindo o vídeo acima?

A história do Scatman John pode ser vista aqui.

A letra da música acima, que reflete um pouco da história do artista, além de ser uma mensagem bem positiva, pode ser vista aqui. (a tradução não está grande coisa, mas dá para entender)

Se um gago pode cantar e fazer sucesso, o que você e eu podemos fazer com tudo o que temos?

terça-feira, 14 de junho de 2011

Quando parar

Algo que sempre converso com alguns alunos e alunas é a respeito da vida profissional que decidimos levar. Muitas vezes temos que decidir isso ainda muito novos e, com o passar dos anos, vemos que deveríamos ter tomado outro caminho.

E por qual motivo não mudamos nosso rumo? Isso acontece porque nem sempre somos o capitão do nosso próprio navio, como costuma dizer o Mestre Gabriel. Dinheiro, pressão da família, status, contas para pagar e sustentar determinado estilo de vida. Tudo isso pode pesar e nos impedir de rumar para aquilo que queremos verdadeiramente fazer em nossas vidas.

Acabei falando sobre este assunto já que, neste final de semana que passou, uma nota triste chegou de forma bem escondidinha, mesmo na mídia especializada em automobilismo (como sabem, sou um grande fã de corridas de carros): Sir Stirling Moss decidiu se aposentar das corridas.

Sir Moss (não é parente da Kate) foi um dos melhores pilotos britânicos de todos os tempos, tendo participado de 66 corridas de F-1, vencido 16 delas, foi 4 vezes vice campeão, venceu provas em vários lugar, entre eles, Mônaco, Monza e no lendário Nordschleife, conhecido como "Inferno Verde". Ao sair da F-1 continuou competindo regularmente em diversas outras categorias, até focar-se exclusivamente em competições de carros antigos e históricos.

No final de semana em questão, Sir Moss participava da corrida Le Mans Legends, voltada para carros clássicos que antecede a famosa prova das 24 Horas de Le Mans e, durante a classificação, ele sentiu medo. Para um piloto, medo da velocidade significa o fim de carreira mesmo. E assim ele anunciou, ao descer do carro.

Stiriling Moss se aposenta das pistas aos 81 anos de idade.

...

...

...

COMO ASSIM AOS 81????

Simples, quando você faz o que gosta, nada pode te aposentar, a não ser você mesmo.

Você faria o que faz hoje aos 81 anos de idade? Se sua resposta for sim, meus parabéns, você faz parte de um seleto grupo de pessoas que se realiza também através de sua trajetória profissional. Se sua resposta for não, sempre há tempo de se tornar o capitão de seu próprio navio. Ou o piloto de seu próprio carro, como fez Sir Stirling Moss.




A matéria completa sobre a aposentadoria dele pode ser vista aqui

terça-feira, 7 de junho de 2011

Resoluções

Fazer um regime. Trocar de emprego. Ficar mais com os filhos. Parar de fumar. Fazer uma pós. Muitas são as coisas que queremos fazer, mas nem sempre conseguimos fazê-las.

Mas desta vez não quero voltar no clássico universo das desculpas, mas o que podemos chamar de "gerador de desculpas". Afinal, quando damos uma desculpa, um processo mental prévio aconteceu antes das primeiras palavras saírem de nossa boca.

Vamos imaginar que você deseja parar de fumar. Mas não é um desejo lá tão forte e você não tomou aquela resolução definitiva de eliminar este vício da sua vida. O resultado disso é simples: nos primeiros dias sem cigarro tudo caminha bem, até porque você planejou essa parada em um final de semana, longe da rotina do trabalho que é mais fácil.

Mas ao entrar no ritmo de vida normal da semana, percebe que é muito difícil não se estressar no trabalho, em casa, faculdade e o cigarro acaba sendo uma reação imediata de fuga e um momento de calma. Eventualmente você acaba desistindo de parar de fumar. Quando isso acontece, aí sim vem a desculpa: "minha vida é muito estressante", "não tenho apoio de ninguém", etc, etc, etc.

No exemplo acima, você começou um processo sem uma firme resolução de sua vontade e, ao encontrar as primeiras dificuldades e barreiras para o que queria atingir, sua vontade diminuiu e você voltou ao velho hábito, mais fácil, mais cômodo, sem dor. Apenas seguiu a tendência natural que temos de preservar hábitos confortáveis, sem mudanças, surpresas ou desafios.

Mas quando queremos superar um desafio, temos que ter a firme resolução de fazer o que buscamos, com todo o esforço do nosso ser.

Muitos de vocês já conheceram meu pai, senhor simpático e falante que vez ou outra aparece nas academias vendendo produtos variados para as unidades. Mas quando eu era novo, ele era barrigudinho, sedentário, fumante e alcóolatra.

Com o tempo ele percebeu que isso iria matá-lo e ele não queria morrer tão cedo. Decidiu então parar de beber e fumar e começou a correr. Quando começou este esporte ele não tinha nenhum acompanhamento, exceto coisas que escutava aqui e ali, numa época de internet ainda inacessível para as massas.

Ele pegou gosto pela coisa e percebeu que poderia correr distâncias cada vez maiores. Resolveu então completar uma maratona, depois de apenas 5 meses de treino. Usando seu tênis de corrida: um velho Bamba. Para quem não conhece este é o Bamba:




Como podemos ver, totalmente inadequado para enfrentar os 42.195m de uma maratona.

Após os primeiros 100 metros, ele percebeu que havia subestimado a dureza da prova e superestimado sua capacidade como corredor. Mas uma coisa fez toda a diferença: ele já tinha decidio completar esta maratona e iria terminar a prova a qualquer custo, não importando o sangue nos pés machucados, as cãibras (não comeu banana), fadiga muscular, stress psicológico, nem nada. Ele havia dito a si mesmo que iria terminar a prova e era o que ele ia fazer.

E assim foi, com o tempo de 4 horas e 57 minutos.

Faça sua Resolução. Mas faça sendo sincero e verdadeiro com você mesmo. Não queria uma coisa apenas até o momento da(s) primeira(s) dificuldade(s).