quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Mestre Gabriel um exemplo a ser seguido

Tenho testemunhado muitos acontecimentos durante esses 15 anos de TSKF. Considero-me um sortudo por ter como tutor o Mestre Gabriel. Nesses 15 anos ouvi muitas histórias que ele nos contava no final da aula, no meio da ginástica ou em algum evento (mais um motivo para vocês não perderem eventos da TSKF). Hoje em dia sei que o Mestre nos ensinava através daquelas histórias. Sei disso porque vejo grandes palestrantes discursando exatamente como o Mestre fazia. Não digo exatamente, pois, você nunca verá alguém contando as mesmas histórias e do mesmo modo, simplesmente porque as pessoas passam por experiências diferentes. Muitas vezes as mensagens são as mesmas (dizem que a “verdade” é universal), mas contadas de formas diferentes. A essas experiências o Mestre dá o nome de conhecimento de causa. E eu adorava ouvi-lo! Gostava tanto que lembro até hoje da maioria delas e procuro passar de vez em quando para os alunos do Tucuruvi onde dou aula atualmente. Notava que na época em que treinava como aluno alguns amigos meus de treino não gostavam quando o Mestre discursava e lhe torciam o bico. Hoje percebo que eles torciam o bico, porque doía no interior deles ouvir algumas verdades e eles preferiam desistir da academia a ter que enfrentar suas próprias mazelas. Em mim também doía, mas eu sempre pensava (e ainda penso) que era para o meu crescimento pessoal.

Mas eu só comecei a desenvolver mesmo no Kung Fu e nas outras áreas da vida quando eu passei a escutar o Mestre. Mas como assim? Ouvir e escutar não são a mesma coisa? Definitivamente não. Ouvir qualquer um ouve desde que seu ouvido esteja funcionando perfeitamente. Mas escutar é diferente. Escutar é quando você ouve, reflete e aplica, ou seja, você entende (ou procura entender) o que ouviu e age de acordo. Você pode ouvir três pessoas contando histórias diferentes e ao mesmo tempo, mas não passará disso, pois nunca compreenderá nenhuma das três. Em suma quando você escuta você presta atenção e quando ouve apenas ouve.

Até hoje eu aprendo com nosso Mestre e terei muito a aprender, pois ele segue desbravando o “caminho das pedras” para todos nós. Comecei esse texto me considerando um sortudo. Então, mudarei dizendo que todos nós devemos nos considerar sortudos, pois, temos um Mestre como exemplo, que tem a capacidade de nos transmitir seus conhecimentos e que não para de galgar os patamares mais altos da excelência a fim de se aperfeiçoar e continuar nos ensinando. Entenderam agora porque sou tão grato ao Mestre Gabriel?

Mas atenção!!! Essa é apenas uma das formas que o Mestre utiliza para ensinar. Há muitas outras maneiras que ele usa para nos mostrar o caminho para o sucesso. Não me pergunte todas elas, porque assim como vocês eu também estou aprendendo.

De vez em quando, compartilharei neste blog com todos vocês algumas histórias contadas pelo Mestre Gabriel e tentarei ser fiel quanto à exatidão de detalhes dentro da capacidade da minha memória (não que eu seja velho, claro). Compartilharei também com vocês minhas próprias histórias, pois pode ser que alguns de vocês estejam passando pelas mesmas dificuldades que tive ao longo desses anos e possa ser útil de alguma forma.

Para encerrar direi agora o que o Mestre Gabriel sempre nos alertou. Ele dizia assim “Não acredite em mim, pois ninguém é o dono da verdade. O que lhe servir guarde para si e o que não servir jogue fora”.

Mas por favor, primeiro ESCUTE a mensagem, depois REFLITA e caso a carapuça não lhe sirva, então você pode descartá-la.

Essas histórias são pérolas e como toda pérola deve ser bem guardada e apreciada.

Desejo do fundo do coração que elas o toquem tão profundamente quanto fez comigo.