terça-feira, 28 de setembro de 2010

Sushi

Neste final de semana, fizemos uma demonstração de Dança do Leão e Kung Fu na Festa das Nações em uma escola de inglês pertinho da Matriz. Foi uma experiência muito interessante observar como podemos, como artistas marciais, influenciar as pessoas que estão à nossa volta.

Depois de terminada as apresentações, fomos convidados a experimentar as diferentes comidinhas disponíveis, representando os diversos países. Naturalmente, acabamos na comida japonesa, feita pela nossa aluna da Matriz Nozomi (ouvi dizer que a filhota dela ajudou a fazer tb...).

Percebi ao meu lado, um garoto de uns 10 anos mais ou menos, bem curioso a respeito das nossas roupas, armas e conversas. O Brian tinha um olhar bem vívido e uma cara de sapeca típica dos garotos desta idade, apesar de ser meio tímido com as palavras. Ele se mostrou especialmente curioso no meu prato de comida com alguns sushis que eu comia. Ele olhava meio que intrigado entre a forma de comer com os hashis e o que diabos eu estava comendo...

Perguntei se ele já tinha comido sushi alguma vez e ele disse que não e balançou a cabeça em negativa. Perguntei se ele já tinha comido com "pauzinhos" alguma vez e novamente veio a negativa. Dado o espaço que tínhamos e pelo fato de eu não ter uma grande habilidade com hashis, disse a ele que não poderia ensiná-lo a comer com os hashis naquele dia, mas, se ele quisesse, poderia experimentar um dos meus sushis e, se não gostasse, não precisaria comer tudo...

Ele ficou com um cara de aceita-não-aceita e nisso, os rapazes (Antonio, Luiz Fabiano, Osvaldo, Anderson e William) já me zoando, dizendo que eu estava assustando o garoto e o ameaçando...Bem, resolvi deixar isso de lado e peguei um sushi e levei à boca do Brian (ah sim, usei um hashi novo viu mamãe-do-Brian?), que prontamente deu uma mordida no sushi e fez cara de quem gostei-não-sei-se-gostei. Crianças são difícies de entender às vezes...Fiz ele acabar de comer o sushi e perguntei se ele tinha gostado. Ele balançou a cabeça, dizendo que sim. Mas fiquei na dúvida se tinha dito isso para ser educadinho ou se realmente tinha gostado.

No momento, deixei isso de lado um pouco e me voltei para minha refeição, já que o Antonio estava comendo quase tudo e não ia sobrar nada para mim...Depois da refeição, começamos a juntar nossos equipamentos, trocar de roupa e nos despedir do pessoal.

Na saída, percebi que o Brian estava sozinho no lugar que eu estava anteriormente, com um sushi na boca e outro na mão e, desta vez, REALMENTE estava com cara de que estava curtindo aquela comida diferente. Antes que perguntem, tinha um outro pote com sushis que o Antonio não tinha visto...

Mas o ponto pricipal que quero dizer é que tive a oportunidade de ajudar o Brian a descobrir como a cozinha japonesa pode ser boa. Daqui há alguns anos, talvez, ele poderá levar alguma aspirante a namorada para jantar em um restaurante japonês e provavelmente nem vai se lembrar de mim. Mas o ensinamento e a experiência que compartilhamos, ainda que simples, estarão com ele.

Como você tem influenciado outras pessoas ultimamente? E mais: como você tem deixado o Kung Fu influenciar você para um novo modo de pensar e agir?