quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

TSKF Entrevista #10

Hoje estamos recebendo para a nossa Última Entrevista o Instrutor Piero Tubino, Sócio e Instrutor da TSKF.

Piero Tubino começou a treinar Kung Fu aos 11 anos. Em setembro de 2012 começou a dar aulas na TSKF Matriz, enquanto ainda cursava o ensino médio na escola, onde pode observar e aprender os primeiros passos sobre como dar aulas com o próprio Mestre Gabriel.

Participou de diversas competições no Brasil em competições nacionais e internacionais. Um dos eventos que mais marcou sua trajetória foi a convenção da TSKF, onde, em sua visão, conseguiu observar a grandiosidade da TSKF, através da organização do evento, das demonstrações e dos discursos feitos pelo Mestre Gabriel, explicando que todos podemos ser melhores do que somos, mesmo partindo do zero.

Em junho de 2014 foi graduado faixa preta e, de 2012 para cá, passou por várias filiais (Moema, Campo Belo, Mogi das Cruzes) antes de se tornar sócio e líder da TSKF Consolação, em 2015.

=============================================================

Piero, como surgiu o interesse pelo Kung Fu? 

Eu gostava muito de filmes de lutas, gostava de ver o desenho do Avatar e me encantava com a beleza dos movimentos. Como toda criança eu tentava imitar.

Bom, aos meus 11 anos de idade, eu morava na Rua augusta perto da Paulista.

Ia para escola de manhã e, nessa época, a TSKF Consolação estava sendo construída. Eu via todos os dias gente entrando e saindo, eu tinha visto uma placa escrita Kung Fu. Daí me surgiu o interesse em querer conhecer! 

Nessa época eu estava muito acima do peso e era uma criança que tinha muitos medos.  Isso me dava muita insegurança.  

Após a aula experimental, o professor da unidade havia explicado todos os benefícios que o Kung Fu traria para mim. Eu tinha me encantado com a aula (ao ponto de achar que eu ia dominar os quatros elementos! Hahah)! 

O que te fez trabalhar com o Kung Fu?

Eu gostava muito de fazer o Kung Fu, mas tinha uma coisa que me chamava muita atenção. Era o jeito que o meu professor me tratava, me ensinava... eu gostava era de como ele me ensinava, fantasiando umas lutas, me explicando cada golpe, brincando e me divertindo. Eu olhava isso, e o desejo de ser igual a ele começou a surgir, queria ser igualzinho a ele. Queria poder ajudar outras pessoas da mesma maneira de como ele fazia! 

Como eu tinha 13 anos ainda não podiam dar aulas e nem era faixa marrom, então eu ficava em casa imaginando, dando aula, cuidando da parte da secretaria, matriculando pessoas para treinar comigo! Tudo na imaginação...

E isso foi aumentando meu desejo de ser um Instrutor! 

Jamais posso esquecer que esse desejo de ser instrutor, foi aumentado pela Shimu Ana, esposa do Mestre Gabriel. Eu e ela conversávamos muito de como era ser instrutor. 

Lembro até hoje que ela me deixou fazer uma carteirinha, parece algo simples, mas para mim foi: “CARAMBA FIZ A CARTEIRINHA! ” Apesar de ter conseguido fazer errado!

Hoje sendo Líder da Unidade da Consolação, como você vê a evolução do Kung Fu no Brasil? 

Ainda tenho muito que aprender e ter esse olhar que o Mestre Gabriel tem! 

Mas o que posso dizer com a pouca experiência que tenho é que o Kung Fu no Brasil ainda precisa crescer mais. No sentindo de que as escolas devem se unir para se ajudar e não ter aquela coisa de dizer que meu Kung Fu é melhor que seu... 

Se unido, o Kung Fu seria imbatível, não teria para ninguém!  

Mas acredito que já evoluiu muito, com o que eu ouvia das histórias! 

Qual foi o Campeonato de Kung Fu que mais lhe marcou? Por quê?

Foi o campeonato da TSKF em 2009. Eu era faixa verde, e como eu tinha meus medos, nesse campeonato eu me tremia todo, literalmente!!! 

Mas foi um passo muito importante para minha vida! Hoje eu entendo porque o Mestre Gabriel diz: “ Quando você entra na área de competição, você entra uma pessoa e quando sai, sai outra pessoa”.

Quando sai da área, percebi que não doía e que era boa a sensação de estar no controle! Hoje tenho muita mais confiança para entrar numa área de competição! Graças a esse primeiro passo dado! 

Dentro da TSKF qual foi a sua maior conquista?

Não diria que foi uma conquista, mas foi quando meu professor ficou sozinho na academia e eu o ajudava, não só eu, como meus colegas. Éramos um time, e ficávamos para ajudar nosso professor. E um dia qualquer, no finalzinho de uma aula bem cheia, eu fui presenteado com uma medalha por mérito! Por ficar e ajudar a academia na hora mais difícil! Isso para mim é uma conquista! 

Mas tenho outra coisa que me deixa orgulhoso: eu era faixa vermelha e estava treinando para o exame. Nessa época já sabia que queria ser instrutor (só faltava a faixa marrom) e eu treinava muito todos os dias, fazia aula e depois da aula ficava mais umas horas repetindo e repetindo! 

Após o exame, o próprio Mestre Gabriel me chamou na sala dele, para dizer que teria minha chance de ser instrutor! E isso para mim foi umas mais puras felicidades que já havia sentido! E, é claro, a minha nota de exame tinha sido 8,40! Rs! 

Toda grande pessoa tem grandes Mestres, quais sãos os seus Mestres, que você se inspirar para ser essa pessoa que é hoje?

Sem dúvida nenhuma é o Mestre Gabriel e o Shifu Danillo! 

Eu me inspiro no Shifu Danillo. O Mestre Gabriel falava que o Shifu Danillo era o George Clooney do Kung Fu. Por que ele tem uma maneira fantástica de explicar ou de conversar com uma pessoa. E isso me inspira, porque quero ser um grande comunicador igual a ele. Um verdadeiro Gentleman! 

Como você vê a TSKF daqui 10 anos?

Eu vejo uma academia muito maior do que já é! 

Eu vejo a academia TSKF como a melhor e a maior academia de todos os tempos! 

Obrigado!