quinta-feira, 27 de março de 2014

Espírito de união


Se você observar a Copa do mundo, em 2014 sediada aqui no Brasil, muito se explicará sobre o espírito de união.

Imagine-se nesse momento assistindo a copa lá no estádio. Você olha para o lado e vê um monte de gente de diferentes religiões, crenças, etnias, e inclusive torcedores de diversos times rivais: Corinthians, Palmeiras, São Paulo... etc. Você se pergunta como pode pessoas “inimigas” estarem juntas sem se importarem com isso. Você não se aguenta e pergunta para o companheiro corinthiano ao lado se ele não se incomoda em torcer ao lado de um palmeirense. Ele vai olhar e dizer assim:

- Não, você está enganado, aqui não tem rivalidade, pois olha a camisa que estamos vestindo. É BRASIL! Esse é o nosso objetivo, de todos nós aqui. O objetivo de ver nossa querida seleção ganhando. Por isso estamos aqui todos unidos. Torcendo! Vibrando! Mentalizando positividade! Vestindo a mesma camisa!

Depois dessa você sai até constrangido, mas, pelo menos entende o tal de espírito de união.

O que podemos concluir então? Para que uma equipe tenha espírito de união ela não precisa, necessariamente, que todos os integrantes tenham amizade entre si. Os integrantes dessa equipe não precisam ter os mesmos gostos, as mesmas religiões, os mesmos costumes e nem mesmo empatia um pelo outro.

Para ter espírito de união é preciso apenas uma única coisa. Que todos os integrantes estejam comprometidos e engajados em chegar a um objetivo em comum.

E para que você esteja comprometido, é preciso acreditar nesse propósito.

Podemos então dizer, que espírito de união é o compromisso de uma equipe que acredita num propósito em comum e fará de tudo para chegar ao seu objetivo.

Em suma, espírito de união tem mais a ver com a CAUSA de algo muito maior do que qualquer outros pormenores que cada integrante, por um acaso, tenham entre si.

O nosso Mestre Gabriel nos ensina espírito de união através de seu próprio exemplo. É um dos poucos Mestres de Kung Fu que mais eu vejo exercer espírito de união, tanto na nossa academia, quanto na comunidade de Kung Fu em geral.

Vou dar um exemplo disso: Quando queremos que algo cresça precisamos valorizar esse algo, ou seja, se queremos que o Kung Fu cresça e não desapareça precisamos valorizar a arte. De que forma eu vejo o Mestre Gabriel fazendo isso? Ele simplesmente não deixa os alunos da TSKF aparecer fazendo demonstrações em qualquer lugar, por qualquer preço, vestidos de qualquer jeito e com demonstrações de péssima qualidade.

Quer outro exemplo? Quando eu vejo o Mestre Gabriel apresentar outros Mestres de Kung Fu em eventos, ele realmente edifica e enaltece as qualidades dos Mestres ou de qualquer outra pessoa que ele esteja apresentando. Essa é outra maneira de valorizar a nossa arte, ou seja, valorizando, edificando e enaltecendo as pessoas que a compõe.

Vou dar mais um exemplo: Tivemos uma época em que o Kung Fu foi ameaçado por uma entidade, o CREF. Não apenas o Kung Fu mas todas as artes marciais e até mesmo as danças. Lembro que o Mestre mobilizou todos os alunos a fazerem um abaixo assinado e viajou diversas vezes a Brasília a fim de resolver essa situação. Ele foi o único Mestre que teve coragem de processar o CREF. Essa ação ainda corre na justiça, da qual já ganhou em primeira e segunda instância e agora está aguardando a decisão final.

Conclusão: O Mestre ganhando essa causa, TODA a comunidade de Kung Fu do Brasil estará ganhando e se beneficiando dessa iniciativa um tanto arriscada, mas que foi tomada por um Mestre que acredita, luta e preza pela liberdade da nossa arte marcial. Isso que é espírito de união, sendo que, nesse caso não teve muitas pessoas lutando junto, da mesma forma e com as mesmas “armas”. Portanto, podemos concluir que espírito de união é feita também por uma só pessoa unida com ela mesma, suas convicções e sua fé.

Agora, imagine por um momento se todos que ensinam e treinam Kung Fu tivessem espírito de união. Imagine o quanto o Kung Fu estaria visível e valorizado no mundo. Com certeza teríamos muito mais pessoas procurando treinar Kung Fu e provavelmente teríamos também mais uma modalidade nas Olimpíadas.

Por falar em Olimpíadas...Você se lembra de algum outro grande evento que reúne países que, mesmo estando em guerra, participam juntos dos jogos?

Pois é... Isso se chama espírito de união.

www.tskf.com.br/academias