segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Sua profissão constitui sua identidade

Acho que você já deve ter escutado ou lido a frase “o trabalho dignifica o homem”. Essa frase é psicologicamente correta porque o trabalho é sim uma condição primordial para a realização humana.

Trabalhar é uma condição essencial não somente para o ser humano conseguir a sua condição financeira para sobreviver mas também para a sua realização pessoal, para sentir-se útil e encontrar sentido na vida.

A profissão de uma pessoa constitui a sua identidade. Isto significa que cada um se torna o que é por meio de sua profissão. É através do trabalho que as pessoas deixam um registro ou uma marca no mundo. Não é à toa que quando não conhecemos uma pessoa e perguntamos para alguém quem ela é, sempre nos respondem coisas do tipo, é o mestre fulano de tal da escola tal, ou então, é o médico fulano de tal, ou ainda, é o vendedor, médico, encanador, dentista etc.

Tão importante quanto ter uma profissão é gostar do que se faz. Isso é tão importante que é praticamente impossível termos empenho e um bom rendimento numa profissão que não gostarmos. Trabalhar sem sentir prazer é sinônimo de sofrimento e consequentemente de adoecimento. Isso significa que a frase “o trabalho dignifica o homem” não é verdadeira se o homem não gostar daquilo que faz.

Gostar do que se faz é tão importante que podemos dobrar o salário de alguém, que se ela não estiver gostando do que faz, continuará desmotivada, desempenhada e rendendo pouco.

A profissão é tão importante na vida do ser humano que uma pessoa sem trabalho é impedida de se realizar como homem e cidadão, o que afeta diretamente sua dignidade.

Se a profissão é tão importante na vida das pessoas, porque então a maioria das pessoas vivem tão infelizes no trabalho a ponto de se preocuparem mais com seus finais de semana do que com o que estão fazendo? O interessante é que a mesma pessoa que vive preocupada com seus finais de semana é a mesma que quando perde o emprego fica doente e entra em depressão, o que confirma mais uma vez o quanto o trabalho é importante para o ser humano, até mesmo quando ele não gosta do que faz.

A resposta para a pergunta acima certamente não é tão simples, mas, podemos dizer sem sombra de dúvidas que uma das principais razões para uma pessoa estar trabalhando numa profissão que não gosta, reside no fato de que quando ela escolheu sua profissão foi por influência de alguém ou por dinheiro, e não por afinidade.  A maioria das pessoas não conhecem a si próprias e, sem isso, é praticamente impossível escolher uma profissão por afinidade.
 
A maioria das pessoas morrem sem saber que poderiam ter sido grandes músicos, cantores, médicos, engenheiros, arquitetos etc. ou seja, morem sem saber que tinham talento para certas coisas, ou seja, morrem sem saber exatamente quem são e quais suas habilidades.

As instituições de ensino se preocupam em ensinar matemática, geografia, história, estatística, medicina, comunicações, marketing, informática, direito etc. e, esquecem do principal, que é ensinar a pessoa a conhecer-se a si própria para poder escolher sua profissão de acordo com sua essência. Deveria ser parte do ensino fundamental ensinar os jovens a se conhecerem para, com isso, poderem escolher profissões que os fizessem felizes e consequentemente onde produzissem mais.

Eu costumo dizer o seguinte: Respeitando ética, justiça e moral, faça o que for necessário até você conseguir o que você quer. Isso significa o seguinte, que você pode fazer por algum tempo o que não gosta desde que seja para conseguir o que deseja.

Você certamente já deve ter conhecido alguém que foi infeliz trabalhando no que não gostava por um período, mas, que planejou, e mais tarde, mudou de profissão e foi fazer o que gostava e se tornou feliz.

Se observamos as pessoas mais felizes perceberemos que são justamente aquelas que possuem um talento e usam o seu talento na sua profissão e, não existe uma ferramenta melhor para você se conhecer, reconhecer seus talentos, qualidades e tendências, reconhecer e equilibrar seus defeitos, ativar seus dons e suas capacidades e potencializar seus valores pessoais, do que através do estudo dos tipos e temperamentos humanos. Portanto, nunca será tarde para você descobrir quem você é, escolher sua profissão ou seu trabalho e se tornar feliz.