segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Leite nosso de cada dia





O leite está presente em nossa dieta praticamente todos os dias, seja na forma propriamente dita ou nos queijos, nas manteigas e margarinas, nos iogurtes, nas massas de bolo e pão e muitos outros alimentos que nós nem mesmo sabemos.
Somos incentivados desde crianças a consumir os derivados desse alimento tão natural que quase sempre era idolatrado pelas mamães, ‘’toma todo seu leitinho filhinho, coma essa bolachinha, quer danoninho?’’. Quando indiretamente ela está dizendo, ‘’Acabe com a vida de uma vaquinha filhinho, enriqueça quem maltrata os animaizinhos’’, e não sabe disso.

Se para você isso pareceu uma viagem sem sentido, saiba que a imprensa marqueteira nos mostra uma falsa imagem da realidade. As vaquinhas pastando nos lindos pastos verdes não estão presentes nas indústrias de laticínios. Cada animal fica preso a um cubículo cercado com uma ração especial acoplado a grandes máquinas sugadoras de leite. Poderia parar por aí, mas não tem como esses bichos produzirem leite do nada, precisam dar a luz a outro animal, de 65 a 75% dos casos por inseminação artificial. O bezerro é retirado da mãe ainda bem jovem, causando danos psicológicos nos dois animais. Caso for fêmea, que se junte ás máquinas produtoras, caso machos que se consuma a carne ou sirva para fecundar fêmeas com dificuldades na inseminação.

Deveria, mas não é só esta questão que nos remete a mudar essa fama de que leite é um alimento saudável. Ele é sim indispensável para bebês, nos primeiros meses de vida, pois fornece cálcio, gorduras importantes e anticorpos (se for materno). Mas me digam qual é o outro animal na natureza que consome leite depois do desmame? Ah sim! Gato bebe leite. Nos desenhos infantis talvez tome sim, mas na vida real quem conhece os gatos sabe o que lhe espera depois do consumo, uma disenteria na certa.

Mas e os argumentos de que o leite é nossa fonte principal de cálcio? Balela, alguns alimentos como vegetais de folha verde são tão bons ou melhores em fonte de cálcio. Além disso, o consumo elevado de leite além de aumentar significativamente nossa dieta gorda (de gorduras, dentre elas o colesterol) faz com que tenhamos excesso de cálcio no sangue, obrigando que nossos rins o filtre com mais intensidade, podendo ser inevitável á problemas renais no futuro, como cálculo.

O que dizer que idosos perdem muito cálcio dos ossos e tem osteopenia e osteoporose? Nem todos os idoso, somente aqueles que não praticam atividade física. Está provado que exercícios regulares diminuem substancialmente a perda de cálcio dos ossos nos idosos. Médicos que receitam leite para idosos, na verdade desejam que ele procure rápido um Cardiologista ou Endocrinologista, pois é certo que o aumento no colesterol será subseqüente.

Quer outro argumento? O açúcar presente no leite é a lactose (monossacarídeo facilmente digerido por crianças nos primeiros meses de vida). Pessoas de descendência asiática e africana são incapazes de digerir a lactose, e pessoas de outras origens tem somente dificuldade. Num país como o Brasil, maiores taxas no mundo de miscigenação, é impossível saber ao certo o papel que seu metabolismo vai realizar. Mas qual o problema de não digerir a lactose? Simples, esse alimento permanecerá por muito mais tempo que o normal no seu aparelho digestivo, se degradando aos poucos, criando gases que só tem duas maneiras de ser liberado, eructação (refluxo estomacal de gases) e flatulência.

Pensando nisso, você atleta não vai querer consumir leite e seus derivados antes de competições ou exames por exemplo. Saiba que se o fizer, vai ter algum tipo de problema quase que imediato e algumas vezes provocará uma sensação de desconforto intestinal.

Mais uma vez a conclusão é, mude seus hábitos nutricionais, e pratique esportes. Ter uma vida saudável é difícil só para quem quer.


Sandro Conte Febras


Referências:
• http://www.euroveg.eu
• Fisiologia do Exercício - Energia, Nutrição e Desempenho Humano - FRANK I. KATCH, VICTOR L. KATCH - 2008