terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Ser e Estar

Dentro da TSKF utilizamos um sistema de graduação por cores de faixa que serve para fins didáticos. Entretanto, é possível usar esta divisão para observar um fato curioso em torno da atitude das pessoas.

Algumas pessoas "estão" em uma determinada faixa, enquanto outras "são" de uma determinada faixa. Mais ou menos como, no trabalho, tem pessoas que "estão" com a autoridade e outras "são" a autoridade.

Quem já tem algum tempo treinando consegue reconhecer aqueles que "estão" na faixa: têm um graduação geralmente além da verde, não costumam conversar com outros alunos, a não ser que seja para falar como eles sabem das coisas. Têm dificuldade em seguir as regras da academia e não vêem necessidade de tratar outros instrutores, que não seja o seu, com o mínimo de respeito. Falam ao celular dentro da área de treino, quando estão entrando ou saindo da academia, não acatam ordens e buscam sempre questionar o instrutor, colocando-se como gênios incompreendidos e que são podados de suas capacidades ao treinar com gente que eles chamam de "molóides". No momento dos avisos de final de aula, ficam de cabeça baixa ou dispersos, já que nada do que está sendo dito tem qualquer importância para ele. Acham que quando algo sai errado, é porque outras pessoas cometeram erros, já que ele não erra. Trata a academia como se fosse um anexo do seu quarto, ignorando que é um espaço de todos os que treinam. Se estão aguardando a sua aula começar, batem papo com seus iguais ou ficam treinando algum movimento enquanto os avisos são dados no final de aula. Enfim, a lista é longa e nem cheguei na metade...

Por outro lado, e aí temos alunos já graduados ou não, que possuem um comportamento adequado para alguém que é um faixa preta (mesmo que ainda não a tenha conquistado). Conversam como todos de maneira igual, seguem as regras e práticas da academia, respeitando à todos. Têm reverência para com a sala de treino, com a atitude de respeito correta. Sabem o momento e a forma de questionar o instrutor, sempre buscando sua evolução técnica. Ajudam irmãos de treino menos graduados quando possível e sem passar por cima do instrutor. Sabem de tudo o que está acontecendo na TSKF (e se envolvem), já que prestam a atenção devida aos avisos de final de aula. Assumem seus erros e trabalham para corrigí-los o mais rápido possível. Respeitam e aproveitam o fato da academia ser um espaço de todos.

Como podemos ver, tudo isso diz respeito a atitude que cada um decide adotar como a sua. E o mais importante, não é preciso esperar chegar até a faixa preta para ter uma atitude dessa. Na verdade é o contrário: cultivar atitudes como esta é que fazem o aluno chegar até a faixa preta e muito, muito além.

Naturalmente, todos nós (eu inclusive) devemos exercitar o cultivo das atitudes certas o tempo todo. Tratam-se de bons hábitos, difíceis de se desenvolver e facilmente perdidos sem a devida prática. Mas tudo fica mais fácil se você toma a decisão de "ser um graduado" e não apenas "estar graduado".