segunda-feira, 12 de abril de 2010

Você (realmente) está fazendo o seu melhor?

Acredito que todos saibam á esta altura que estou alocado agora na unidade Vila Madalena. Isso me proporcionou a oportunidade de trabalhar novamente com o Osvaldo, uma vez que já tínhamos atuado juntos na Matriz.

Creio que a maior diferença que pude observar nele é a adoção de um "mantra", que ele repete sem descanso em todas as aulas mais puxadas, como as de Campeonato e Especiais: "Dê sempre o seu máximo".

E isso é algo a ser mantido sempre em mente ao treinar: dar o seu melhor, buscar o seu limite, tentar descobrir qual é o máximo. Procurar, em seus básicos, fazê-los sempre de forma correta, firme e precisa. Trabalhar a força, velocidade, pontaria, balanço e definição em suas formas. Praticar a força, técnica e destreza nas aplicações. Mas trabalhar tudo isso com este espírito em cada aula não é o bastante para ser um artista marcial, na minha visão.

Dar o máximo vai além da área de treino. Dar o máximo de si, signifca ser melhor em cada movimento! Prestar a devida reverência ao entrar e sair da sala de treino. Cuidar de sua presença nos treinos, com frio, calor e/ou chuva. Cumprimentar os colegas de treino da forma adequada. E não vamos ficar apenas na "vida da academia"! Você se alimenta "dando o seu máximo"? Come de forma adequada e com a regularidade necessária? Bebe água na quantidade certa? Cuida do seu sono e do asseio pessoal?

Não vamos nos limitar apenas à nós mesmos. Dirigimos da forma adequada no nosso caótico trânsito? Nos posicionamos corretamente ao usar o metrô? Andamos de forma prudente pelas ruas? Tratamos todos com quem interagimos com a polidez necessária?

Claro que sei que é quase impossível agir com tanta perfeição ao longo de um dia! Ninguém é perfeito!

Por isso o Osvaldo diz: "Dê sempre o seu máximo".

No final do dia, você sabe que procurou e se esforçou verdadeiramente para fazer o seu melhor. Isso é ser artisita marcial.