sábado, 6 de fevereiro de 2010

Começar no Kung Fu é fácil permanecer é difícil



Como você já deve ter percebido, Kung Fu, não é uma coisa que você começa agora e daqui a seis meses se torna o Bruce Lee, ou o Jack Chan ou o Jet Li. Kung Fu é um caminho, é um estilo de vida, portanto, para que você permaneça nele siga algumas das dicas abaixo:

Tenha um objetivo definido: Se você pratica Kung Fu ou está tomando a decisão de praticá-lo deve conscientizar-se de que isto exigirá uma dedicação diligente durante um tempo indeterminado.

O tempo não é importante, percorrer o caminho sim, portanto, os objetivos são mais importantes do que o tempo, pois eles são quem permitem que você permaneça no caminho.

No início, a razão pela qual você decidiu praticar Kung Fu não é muito importante, entretanto, a definição posterior de um objetivo forte e claro será determinante para que você mantenha sua decisão.

Kung Fu significa "trabalho duro". Isto ficará claro quando você se deparar com os diversos obstáculos durante seus treinamentos, momento em que seu objetivo será de fundamental importância para motivá-lo, entusiasmá-lo e manter o seu nível de energia sempre em alta ajudando-o a transpor estes obstáculos.

Além da defesa pessoal, os praticantes de Kung Fu desenvolvem habilidades impressionantes muito acima das pessoas comuns, além de obter inúmeros outros benefícios tais como: condicionamento físico excepcional, desenvolvimento mental, melhor postura corporal, atitude mental diferenciada, elevação da auto-estima, elevação do sentimento de segurança, saúde, autocontrole, equilíbrio, energia, disposição e muitos outros.

Objetivo é pessoal, portanto nenhum objetivo terá tanto valor para você quanto aquele que você escolher. Resumindo poderíamos dizer o seguinte sobre a importância de um objetivo: "Nenhum vento sopra a favor de quem não sabe aonde vai".

Tenha Paciência e Perseverança: O que essas duas palavras têm haver com treinamento de Kung Fu? – Tudo.

Pode não Ter significado heróica a palavra “persistência”, mas, “Essa qualidade está para o caráter do homem como o carvão está para o aço”.

Os que cultivam o hábito da persistência parecem gozar de um seguro contra o fracasso. Não importa quantas vezes sejam derrotados, chegam, no final, ao topo da escada. Às vezes, parece haver um guia oculto, cujo dever é testar os homens, através de todas as espécies de experiências desanimadoras. Aqueles que se reerguem após a derrota e continuam tentando, alcançam; e o mundo aplaude: “Viva! Sabia que você seria capaz!” O guia oculto não permite que ninguém consiga grandes realizações, sem passar no teste da persistência. Os que não conseguirem vencê-lo, simplesmente não passam no exame.

O Talento é muitas vezes um fator secundário para continuarmos e vencermos. É fácil nos convencermos disso, lendo a vida dos homens célebres.

Nada na vida pode substituir a paciência e a perseverança; nem o talento. Só a persistência e a determinação são onipotentes.

A linha divisória entre o sucesso e a derrota é tão fina que raramente nos damos conta quando a atravessamos. Muitos alunos desistem quando mais um esforço, mais um pouco de paciência lhes teriam proporcionado a vitória, pois é exatamente quando chegamos a um impasse e tudo conspira contra nós a ponto de nos fazer sentir que não poderemos agüentar mais, devemos agüentar mais aquele minuto, pois é o momento em que a maré está preste a mudar, assim, "A paciência e a perseverança são irmãs. Às vezes, vencer é saber esperar".

Tenha consistência: Sabemos da importância de um objetivo definido, da paciência, da perseverança e da persistência na prática do Kung Fu, entretanto, nenhuma destas palavras terá valor algum se não houver uma dose considerável de consistência em seu treinamento assim como em qualquer tipo de atividade.

Um erro comum entre aqueles que iniciam a prática do Kung Fu é a falta de consistência que desencadeia uma série de problemas como, pôr exemplo, os seguintes:

Deficiência no Condicionamento Físico: Sem consistência um praticante de Kung Fu nunca terá o condicionamento físico necessário para um bom desempenho nas aulas. A falta de um bom condicionamento físico pode levar o praticante a não se sentir muito bem durante as aulas e ainda sofrer alguma lesão ou distúrbios físicos, pois sua musculatura não estará adequadamente preparada para executar uma série de movimentos que exigem força e resistência. Isto será comprovado durante a execução de sua técnica que raramente terá a perfeição desejada. O praticante de Kung Fu sem condicionamento físico sente-se mal durante as aulas, machuca-se constantemente e, às vezes, é repreendido pela falta de condição técnica. Dentro deste quadro ele acaba perdendo sua motivação, desanimando e finalmente desistindo, sem saber que poderia evitar estes problemas com um pouco mais de consistência de treino.

Retardamento do aprendizado: Sem consistência um praticante de Kung Fu dificilmente conseguirá uma boa condição técnica o que impedirá seu desenvolvimento no treinamento, pois a falta de consistência denotará uma desvalorização do aprendizado. O bom Mestre ou Professor interrompe o ensinamento assim que percebe que sua condição técnica deixa a desejar ou está sendo esquecida. Pela falta de compreensão do que possa estar acontecendo, o praticante de Kung Fu pode acabar desistindo por achar que o seu Mestre ou Professor não esteja querendo ensiná-lo, quando na realidade ele é que está sendo negligente em seu treinamento. A falta de consistência é uma das maiores armadilhas que um praticante de Kung Fu pode cair, pois ela destrói todos os princípios para um bom aprendizado, ou seja, “Quem não persevera nas pequenas tarefas, falhará nos grandes planos”.

Desenvolva o hábito: O hábito é uma força muito poderosa que pode ser desenvolvida no ser humano, por isso, nunca subestime a força do hábito. Podemos dizer que o homem é feito de hábitos e que os hábitos condicionam o ser humano para melhor ou para pior. A questão é que existem bons e maus hábitos, e eles se diferenciam da seguinte maneira: Os bons hábitos sempre são difíceis de se adquirir e fáceis de se abandonar como, por exemplo, o hábito de ler, de fazer esportes, da boa alimentação, da persistência, da perseverança, da consistência, e os maus hábitos sempre são fáceis de se adquirir e difíceis de se abandonar como, por exemplo, o hábito de fumar, de beber, de comer demais, de procrastinar, de culpar o próximo, de criticar, da intolerância. O hábito de praticar Kung Fu é um bom hábito, portanto, vai lhe exigir esforço contínuo por um determinado tempo para que ele se torne um hábito, ou seja, o hábito vem do condicionamento. Quanto aos hábitos podemos dizer o seguinte: “Hábitos inicialmente são teias de aranha depois fios de arame”.

Mantenha sua Motivação: Mesmo possuindo um objetivo definido, as vezes você poderá encontrar muitos obstáculos que poderão fazer com que você desanime, portanto, participar dos eventos, campeonatos, demonstrações e cultivar amizades na academia, farão com que você se envolva e posteriormente se comprometa, se lembrando do seu objetivo e conseqüentemente permanecendo em seu caminho.

Concluindo poderíamos dizer que o praticante de Kung Fu que não segue estes princípios tornam-se alunos e discípulos mornos, ou seja, se estiver frio ele inventa uma desculpa para não vir treinar, se estiver quente ele inventa outra desculpa, se estiver chovendo outra se estiver transito outra, ou seja, este tipo de aluno só aparece na academia se todos os faróis da cidade estiverem verdes e a conseqüência inevitável é a desistência.