quarta-feira, 24 de junho de 2015

A oportunidade de crescer que você pode estar perdendo


Ao longo de nossos treinos, de nossos dias e de nossas vidas, somos regularmente bombardeados com dores e incômodos dos mais inúmeros tipos, desde perder sua mamadeira favorita na infância, até fraturar algumas áreas do corpo. É fato que tais desafios irão surgir na vida, e é justamente nesses momentos que nós ganhamos a oportunidade de crescer.

  Através do kung fu, pode-se perceber durante todos os treinos, em todos os horários, cada aluno passando por sua própria provação nas mais variadas matérias, e nelas fatalmente surgindo as dores musculares, dores mentais, etc. Aqui entramos em um ponto interessante:

  Ao chegar na sua academia, observe as pessoas que estão dentro da sala de treino. Olhe cada uma delas no rosto e tenha a certeza de que elas estarão lidando, dentro de seu próprio ritmo, com suas dificuldades e seus desafios, mesmo que algumas não expressem isso logo de cara.

Apesar de TODOS sentirem essas dores, POUCOS são aqueles que sabem lidar com elas, e isso se vê no rosto de cada um. Alguns, ao sentirem dor, fazem aquela cara de quem está chupando o limão mais azedo de todos. Outros, mais parecem que estão a parir trigêmeos. Mas afinal, o que a careta de cada um mostra da pessoa? Ela mostra justamente como você é.

  O foco de seus pensamentos, se posto na dor, será sem dúvida alguma transmitida em seu exterior. Se seu pensamento não está condicionado a lidar com a dor, ela se manifestará mais intensa. Se você reclama antes mesmo de executar algum movimento ou alguma ação em seu dia, tenha certeza que a dor já lhe venceu.

  Também podemos observar alunos que passam por 4 minutos de resistência e, ao terminarem, saem da posição com a mesma expressão cara-de-ovo com a qual começaram (sem demonstrar sofrimento). Esse aluno, que muito provavelmente também sentiu algum tipo de dor, possuiu um diferencial daquele que reclamou aos cantos: ele pôs sua determinação acima de qualquer dor que ele pudesse sentir. Ele mostrou, apenas através de sua face, o quanto seu empenho o faria chegar, não importa como.

  E isso não acontece somente em momentos de dor física. Acatar e respeitar os comandos do instrutor ou shifu de sua academia também é uma amostra do quanto você mentalmente está debilitado ou fortalecido. Se ele disser que você não irá tomar água durante a aula, qual será sua reação? Como você se portará quando o instrutor não te ensinar matéria por uma, duas, dez aulas ? O que passará por sua cabeça quando ele não deixar você entrar na aula, após o início da mesma? Você resmungará consigo mesmo e ficará remoendo tais situações? Esperamos que não.

  Quando chegamos numa conclusão, torna-se óbvio que depende apenas de nós  sentir a dor e sofrer por isso, ou sentir a dor e crescer com ela.

  Quando não fazemos careta diante das dores, mostramos ao mundo que nossas metas são tangíveis e que as oportunidades estão aí para serem conquistadas. Quando não reclamamos diante de uma dificuldade, criamos em nós mesmos a disciplina necessária para fazer o que for preciso, e passaremos a ser um exemplo a ser seguido.

Nicollas Santos
TSKF Itaim