quarta-feira, 15 de abril de 2015

Pensamentos Inquietos de uma Mente Sem Propósito


A mente é a ferramenta mais poderosa do ser humano. Com ela podemos observar o mundo e a partir dessas observações podemos criar novas formas de interação com ele. Mas com todo esse potencial vem uma desvantagem gritante: a inquietação. Já que a mente é muito poderosa ela cria pensamentos o tempo todo. Essa sucessão de ideias é o que faz com que nós nos distraiamos de alguma tarefa. 

Se nossa mente não para de produzir imagens e frases nós não conseguimos ter foco, pois nossa atenção passa a seguir o fluxo de pensamentos aleatórios. Dessa forma quando temos que ler um texto ficamos um tempo pensando e refletindo sobre o que estamos lendo. Mas em menos de cinco minutos uma pessoa irá pensar no seu cachorro, depois na sua família, aquele colega que te importunou em seu trabalho e no fato de que ela está com fome. Logo, a pessoa que tinha que ler um texto, está na cozinha de sua casa preparando café.

A distração sobre uma determinada tarefa é pontual e tem consequências mais ou menos imediatas. No nosso exemplo a pessoa terá perdido tempo e com um pequeno esforço a mais ela conseguirá concluir a tarefa. O problema nesse caso é se a falta de foco for um hábito. Se uma pessoa se distrai em tarefas importantes constantemente ela criará o hábito de ceder à inquietação mental. Isso fará a pessoa mudar suas ações de acordo com o fluxo aleatório de ideias. Aí que está o grande problema, se nós não aprendemos a lidar positivamente com a inquietação da mente sempre sairemos de nossos rumos, abandonando metas e projetos pela metade. A distração (e consequentemente o descaso) com nossos sonhos é um mal que deve ser combatido.

Para evitar esse fenômeno devemos treinar muito. Porém não adianta nada você tomar a decisão de sentar novamente na cadeira e ler o texto, pois você abandonará a tarefa novamente, já que o hábito mais forte é o de se distrair. Fazer a mesma coisa e esperar resultados diferentes não é muito inteligente, é preciso buscar outras alternativas: um outro tipo de treino é necessário. 

O Kung Fu pode ajudar muito no treinamento do foco mental. Em uma aula de Kung Fu temos dois objetivos principais: aprender e aperfeiçoar. No início dos treinos o aluno tem que aprender toda a dinâmica de uma aula de Kung Fu e ainda por cima as técnicas novas. Nessa fase não há muita coisa a ser aperfeiçoada, logo o aluno fica a aula inteira assimilando os movimentos e comandos. Depois de um tempo o aluno passa a ter um grupo de movimentos e técnicas que serão aperfeiçoadas pela repetição contínua. Com o passar do tempo o aluno irá acumular muito conhecimento que será lapidado até ele estar bem fixo em sua mente e corpo.


Mas como um treino de Kung Fu pode melhorar o foco e a atenção de alguém? Isso acontece, pois o aluno ficará distraído na aula, ele prestará atenção nas armas na sala de treino, nas pessoas fora da aula, na técnica dos alunos antigos, pensará no seu dia e nas suas preocupações. Porém o instrutor estará lá para lhe chamar a atenção e fazê-lo voltar à tarefa em questão. No início dos treinos o aluno estará sempre se distraindo, seguindo seu hábito de acatar tudo que o fluxo de pensamentos aleatórios diz. Mas em pouco tempo ele aprenderá que não adianta ficar evitando o treinamento, pois o instrutor estará lá, sempre vigilante, para mantê-lo treinando. Com o tempo o aluno cria o hábito de manter o foco, ele irá aos poucos deixando a inquietação de lado para aperfeiçoar o que ele já sabe e aprender coisas novas. 

Na aula de Kung Fu a mente e o corpo receberão um propósito o que resultará em um compromisso maior do aluno com ele mesmo. Quando a mente tem um propósito ela usa todas as suas faculdades para realizá-lo. Toda a destreza mental de pensar possibilidades diversas, avaliar as informações, criar alternativas será focada nesse propósito. Dessa maneira a pessoa cultivará um novo hábito que ficará cada vez mais forte. 

Com o tempo e o treino fica cada vez mais fácil para o aluno transmitir o estado mental de foco e alerta que ele tem na aula de Kung Fu para outros aspectos na sua vida. Além disso, ele poderá colocar um novo foco em suas tarefas diárias, relações sociais e intrapessoais, a saber, aprender coisas novas e aperfeiçoar o que ele já sabe. No Kung Fu nós aprendemos uma técnica e a aperfeiçoamos constantemente; nos estudos aprendemos coisas novas e aperfeiçoamos nosso conhecimento para que nos lembremos dele; nos relacionamentos aprendemos sobre as pessoas e aperfeiçoamos essas relações criando confiança entre as partes.


Ao usar o Kung Fu como ferramenta para o desenvolvimento do corpo e da mente temos maiores chances de consolidar nossos objetivos. Treinar o corpo é fundamental para trabalhar a mente, um não existe sem o outro. Por isso, se queremos que nossa mente seja focada, é necessário que o corpo fique focado também. Tanto o corpo quanto a mente tem tendências que não condizem necessariamente com o que realmente queremos, cabe a cada um de nós criar um propósito a fim de não desperdiçar nenhum segundo de nossa breve existência.

Jonas Bravo
TSKF Padre Eustáquio